Judoca com deficiência visual vai disputar torneio estadual contra atletas que enxergam

Cíntia Cruz
1 / 5

INFOCHPDPICT000087329300

Júlio César com o sensei Ricardo Agnez no centro de treinamento, em São João de Meriti

No próximo domingo, o judoca Júlio César Santos da Conceição, de 27 anos, estará diante de mais um desafio em sua vida. Ele vai disputar o Circuito Estadual da Federação de Judô do Rio com outros atletas da categoria. A diferença é que Júlio tem deficiência visual e medirá forças com judocas que enxergam.

Mas, para quem perdeu a visão total aos 7 anos, começou no judô aos 18 e já enfrentou vários obstáculos devido à sua deficiência, esse é um desafio que está sendo inspirador para Júlio.

— Eles conseguem ver, mas a minha principal vantagem é a agilidade — aposta o atleta, morador de Belford Roxo.

Em quase uma década como judoca, Júlio já coleciona algumas medalhas. Uma delas foi conquistada com o primeiro lugar no Grand Prix de Judô Paralímpico, no ano passado. Ele também integrou, em 2019, a seleção brasileira paralímpica de judô, nos Jogos Panamericanos de Lima, no Peru. Agora, Júlio César se prepara para as paraolimpíadas de Tóquio, no Japão.

O sensei Ricardo Agnez, treinador de Júlio, conta que a luta de domingo é como se fosse um treino para os dias 19 e 21, quando o judoca vai participar do Grand Prix Infraero Internacional.

— Foi o próprio Júlio que quis se inscrever para esse circuito — ressaltou Agnez, que tem seu centro de treinamento em Coelho da Rocha, São João de Meriti.

Mas Júlio César garante que vai lutar para ganhar:

— Não vou levar como treino. Quero ganhar ou perder. Que vença o melhor!

começo na natação

O primeiro esporte na vida de Júlio César foi a natação, que ele começou a pratica logo aos 5 anos. Aos 17, começou no judô, esporte pelo qual já tinha se interessado na adolescência.

— Na natação, eu cheguei a competir. Quando decidi ir para o judô, entrei para competir também. Não senti dificuldade de aprender porque assimilo as coisas muito facilmente. O judô me deu disciplina. Eu era muito brigão. Também perdi a timidez, porque o judô obriga a gente a se comunicar com as pessoas — conta o atleta.

A relação com o judô foi tão forte que contagiou a família de Júlio César. A mulher, Dandara Monteiro da Silva, de 25 anos, e o filho mais velho, Miguel, de 8, também praticam o esporte. O casal tem ainda os gêmeos Daniel e Lorena, de 4 anos, e Laura, de 2.

— Dandara já fazia atletismo, e eu acabei levando ela para o judô. O Miguel é faixa azul — orgulha-se.

Júlio César mora há quatro anos em Belford Roxo. Ele nasceu e cresceu em Itaguaí. Até a adolescência, fazia o trajeto até a Urca para estudar. Era aluno do Instituto Benjamin Constant. Até que conseguiu a oportunidade de comprar uma casa em Belford Roxo.

Atualmente, Júlio César é patrocinado pela Riopae. Apesar de já ter muitas medalhas, o judoca almeja mais no esporte:

— Meu maior sonho dentro do judô é poder conquistar a faixa preta.