Juiz autoriza Google a vincular senador a caso de helicóptero com cocaína

Divulgação/Polícia Federal

O senador Zezé Perrella (MDB-MG) teve negado pedido para que fossem excluídos da internet conteúdos que o vinculassem ao incidente do helicóptero de cocaína, ocorrido em 2013. A decisão é do juiz substituto Pedro Matos de Arruda, da 6ª Vara Cível de Brasília.

Segundo o portal Uol, o parlamentar exigia que mecanismos de busca na internet, como o Google, excluíssem associaçōes entre seu nome os termos “helicoca”, “helicóptero” e “cocaína”. Em resposta, o Google afirmou se tratar de informação de interesse público e, por isso, não retiraria as manchetes de sua busca.

O caso ocorreu em 2013, quando a Polícia Federal (PF) apreendeu 450 kg de cocaína em um helicóptero da Limeira Agropecuária, empresa em nome de Gustavo Perrella, então deputado estadual e atual diretor de Desenvolvimento e Projetos da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Filho de Zezé, Gustavo alegou, na ocasião, ter sido enganado pelo piloto que conduzia o jato.

A PF não encontrou indícios do envolvimento da família com a droga apreendida, fato utilizado como argumento pela defesa de Zezé para justificar o pedido.

“Não se pode, reitero, apagar da memória social a alcunha dada ao helicóptero nem se pode desfazer o fato de que a propriedade da aeronave é da família Perrella”, escreveu o juiz no despacho.

O senador ainda pode recorrer da decisão.