Juiz contraria governador e permite que escolas da Flórida exijam máscara

·1 minuto de leitura
(23 ago) Alunos usam máscara em escola da Flórida (AFP/CHANDAN KHANNA)

Os estabelecimentos de ensino da Flórida podem impor o uso da máscara em suas instalações, decidiu um juiz nesta sexta-feira, contrariando o governador do estado americano, Ron DeSantis, que havia proibido as escolas de aplicarem tal medida.

O juiz John C. Cooper deu razão a um grupo de pais que havia denunciado a ordem executiva de DeSantis na Justiça, por considerarem a mesma inconstitucional, informou a imprensa local.

Vários distritos escolares da Flórida decidiram obrigar estudantes e funcionários a usar a máscara na volta às aulas, ante o aumento dos casos de Covid-19. Mas o republicano DeSantis, que rejeita a medida, por considerar que a mesma viola a liberdade individual dos pais, assinou uma ordem executiva em 30 de julho para impedir que as escolas imponham o uso da máscara.

No julgamento, os advogados do governador e do Departamento de Educação da Flórida alegaram que os pais têm o direito de decidir o que é melhor para a saúde de seus filhos, de acordo com uma lei estadual aprovada este ano. Mas o juiz rejeitou esse argumento, afirmando que a lei não impede que as instituições públicas tomem medidas para garantir a saúde, sempre e quando mostrarem que essas ações são razoáveis e necessárias.

“Os direitos dos pais são muito importantes, mas não estão isentos de algumas limitações razoáveis”, declarou o magistrado, segundo declarações colhidas pelo jornal "New York Times".

Desde o início do ano letivo em vários condados da Flórida, milhares de alunos tiveram que permanecer em quarentena após serem infectados ou terem entrado em contato com pessoas infectadas.

gma/ltl/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos