Juiz elogia um estuprador condenado na presença de uma de suas vítimas

“Um homem extraordinariamente bom”. Foi assim que o juiz definiu um estuprador condenado, antes de enviá-lo à prisão. E o pior de tudo? A vítima do criminoso estava presente na sala e teve que aguentar ouvir este elogio.

Thomas Low, juiz do estado norte-americano de Utah, teve que conter as lágrimas ao falar de Keith Vallejo, antigo bispo da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. No entanto, apesar da emoção que sentiu, “não teve outra opção” além de condená-lo por estuprar duas mulheres, em dois incidentes separados, ocorridos em 2013.

O juiz Thomas Low (KUTV)

“A corte não tem nenhuma dúvida de que o senhor Vallejo é um homem extraordinariamente bom,” assegurou Low segundo o Huffington Post“Mas às vezes os homens bons fazem coisas ruins”.

As “coisas ruins” feitas por Vallejo incluem o estupro de Julia Kirby, que tinha 19 anos de idade na época do crime. A jovem teve que ouvir, na sala, o discurso emocionado do juiz. “Ele nunca poderia ter pronunciado estas palavras,” disse ela ao canal KUTV. “Dizer isso em um tribunal, diante da vítima de uma violação cometida por este homem, dizer que ele é uma boa pessoa é algo pouco profissional e inaceitável”.

Não é a primeira vez que o juiz Low demonstrou seu carinho por Vallejo, de 43 anos. No último mês de fevereiro, quando foram apresentados os crimes cometidos, ele deixou que o acusado ficasse em liberdade sem a necessidade de pagamento de fiança, uma decisão surpreendente, em um caso duplo de estupro. Vallejo foi condenado por um estupro em primeiro grau e por 10 delitos de abuso sexual.

Keith Vallejo (AP)

O antigo bispo mórmon alegou ser inocente durante todo o processo. Após ouvir o veredito, ele se negou a aceitar os fatos e assegurou que “o sistema judicial é uma armadilha que obriga inocentes a se declararem culpados”.

Kristen Houser, chefe da associação do Centro de Pesquisa Nacional de Violência Sexual dos Estados Unidos, afirmou que as palavras do juiz causam “um impacto muito negativo numa vítima de estupro”.

A sentença de Low condenou Vallejo a 15 anos de prisão pelos delitos de abuso sexual, e a cinco anos pelo estupro.

WTB
Yahoo Noticias