Juiz impede de forma temporária que New York Times publique materiais do Projeto Veritas

·1 min de leitura
Prédio do The New York Times em Nova York

Por Jonathan Stempel

NOVA YORK (Reuters) - Um juiz de Nova York impediu na quinta-feira de forma temporária que o New York Times publique alguns materiais relativos ao grupo ativista conservador Projeto Veritas, uma medida rara que o jornal disse violar décadas de proteções da Primeira Emenda da Constituição dos Estados Unidos.

A ordem do juiz Charles Wood, da Suprema Corte do condado de Westchester, cobre memorandos redigidos por um advogado do Projeto Veritas e obtidos pelo NYT.

Wood agendou uma audiência para a próxima terça-feira para analisar uma proibição mais longa de publicação e se o jornal deveria retirar referências a informações privilegiadas entre advogado e cliente de um artigo de 11 de novembro sobre as práticas jornalísticas do Projeto Veritas.

"Este veredicto é inconstitucional e estabelece um precedente perigoso", disse Dean Baquet, editor-executivo do NYT, em um comunicado por email. "Quando um tribunal silencia o jornalismo, falha com seus cidadãos e mina seu direito de se informar", acrescentou.

"A Suprema Corte deixou isto claro no caso dos Pentagon Papers, um veredicto histórico contra restrições prévias que impedem a publicação de jornalismo digno de notícias. Este princípio se aplica claramente aqui. Estamos buscando uma revisão imediata desta decisão", afirmou.

Advogados do Projeto Veritas pediram que Wood interviesse depois que "referências a, descrições de, e citações literais" de memorandos de seu advogado Benjamin Barr foram publicadas no NYT.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos