Juiz que ordenou prisão de ex-ministro da Educação sofre ameaças, diz Justiça

Estátua da Justiça em Brasília

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O juiz federal Renato Borelli, da 15ª Vara Federal de Brasília, responsável por decretar a prisão preventiva do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, está sendo alvo de ameaças, segundo informou a Justiça Federal no Distrito Federal nesta quinta-feira.

Segundo a assessoria de imprensa do órgão, o juiz recebeu "centenas de ameaças", muitas delas pela internet, de grupos de apoio ao ex-ministro. Acrescentou que pedidos de investigação foram encaminhados para a Polícia Federal.

Na véspera, Milton Ribeiro foi preso pela PF por ordem de Borelli em uma operação da Polícia Federal destinada a investigar possível tráfico de influência e corrupção para a liberação de recursos públicos de um fundo ligado à pasta.

O caso tem forte impacto político e potencial de atingir a campanha à reeleição do presidente Jair Bolsonaro.

Nesta quinta, segundo informou a CNN Brasil, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região negou um pedido de habeas corpus apresentado pela defesa do ex-ministro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos