Juiz questionará jurados do caso George Floyd sobre acordo de US$27 milhões

Jonathan Allen
·1 minuto de leitura
Pedestre passa por mural com homenagem a George Floyd em Mineápolis

Por Jonathan Allen

(Reuters) - O juiz encarregado do julgamento de Derek Chauvin, o ex-policial de Mineápolis acusado da prisão e morte de George Floyd no ano passado, perguntará aos jurados nesta quarta-feira se eles têm conhecimento do acordo da cidade norte-americana com a família de Floyd.

O prefeito, Jacob Frey, se uniu a alguns dos familiares de Floyd em uma coletiva de imprensa na sexta-feira para anunciar que Mineápolis pagará 27 milhões de dólares à família para encerrar o processo federal contra a cidade pela morte -- um dos maiores acordo deste tipo.

Eric Nelson, o principal advogado de Chauvin, queixou-se ao tribunal de que a publicidade sobre o acordo torna mais difícil escolher um júri que consiga ser imparcial.

Até agora, todos os jurados em potencial disseram que sabem quem Chauvin é e quase todos assistiram o vídeo no qual o policial branco se ajoelha sobre o pescoço de Floyd enquanto o homem negro de 46 anos implora pela vida. O caso desencadeou protestos globais contra a brutalidade policial e o racismo.

"Você vê autoridades eleitas --o governador, o prefeito--fazendo declarações incrivelmente prejudiciais sobre meu cliente, este caso", disse Nelson à corte na terça-feira. "Você vê a cidade fazendo um acordo para encerrar um processo com uma quantidade recorde de dinheiro. E a publicidade pré-julgamento é muito preocupante".

Ele pediu ao juiz distrital do condado de Hennepin, Peter Cahill, que reveja o pedido anterior da defesa de adiar e transferir o julgamento para outro condado, o que Cahill disse que estudará.

(Por Jonathan Allen em Nova York)