Juliette inspira ator mirim de "Mar do Sertão": "Comecei a imitar"

Miguel Venerabile em
Miguel Venerabile em "Mar do Sertão". Foto: Reprodução/Globo

Resumo da notícia:

  • Ator mirim de "Mar do Sertão" se inspirou em Juliette para personagem

  • Miguel Venerabile abriu detalhes sobre sua preparação para viver Joca na trama

  • Sotaque da nordestina fez parte da preparação do pequeno

Destaque mirim de "Mar do Sertão", Miguel Venerabile revelou detalhes de sua preparação para interpretar Joca, filho de Timbó, vivido por Enrique Diaz, e Tereza, interpretada por Clarissa Pinheiro, na novela da Globo. Em entrevista ao Na Telinha, o ator de 9 anos contou que teve Juliette como inspiração para seu personagem.

Nascido em Niterói, no Rio de Janeiro, Miguel se dedicou bastante para conseguir reproduzir o sotaque da paraibana. Embora o Nordeste seja composto por nove estados com seus sotaques diversos e as cenas tenham sido gravadas especificamente em Pernambuco e Alagoas, a ex-BBB natural da Paraíba foi um dos exemplos do ator.

"Tive aula de prosódia, eu vi filmes, escutei uma playlist do 'Mar do Sertão' que tem várias músicas nordestinas e foi assim. Fui aprendendo a pegar o sotaque, conhecendo a cultura nordestina até que peguei de jeito. Eu vi uma live da Juliette, ela falando com sotaque eu comecei a imitar, a tentar, tentar, até que ficou na ponta da língua", explicou.

Miguel ainda contou como curte a experiência de fazer parte do elenco de uma produção televisiva. "Gosto de ficar no camarim, brincando com Enzo [colega de elenco], conversando, trocando cartinha, figurinha da Copa. Gosto muito também de conversar com os diretores, trocar ideia com os produtores, gosto da hora do lanche, de gravar principalmente", afirmou.

Escrita por Mário Teixeira, "Mar do Sertão" é uma novela das seis ambientada na fictícia Canta Pedra com narrativa voltada para a cultura da região Nordeste. As gravações aconteceram no Vale do Catimbau, em Pernambuco, localizado entre o Agreste e o Sertão pernambucano, e eleito o segundo maior parque arqueológico do Brasil. Os trabalhos também seguiram em Piranhas, no Alagoas, com o Rio São Francisco como cenário, além do centro histórico da cidade.