Em cena traumatizante, Juma mata Solano e mostra solidão das mulheres no "Pantanal"

Juma é surpreendida por Solano em
Juma é surpreendida por Solano em "Pantanal" (Globo/João Miguel Júnior)

Em uma das cenas mais esperadas da reta final de "Pantanal", Juma (Alanis Guillen) mata com as próprias mãos o assassino Solano (Rafa Sieg), que se escondeu na tapeira para fazer uma emboscada para a jovem. O momento, intenso e traumatizante para a personagem, mostrou mais uma vez a solidão que as mulheres enfrentam dentro da trama e na vida real.

Quando enfrentou Solano e virou onça para proteger a si mesma e a filha ainda não nascida, Juma já estava em trabalho de parto. A jovem encontrou forças porque não tinha nenhuma opção para proteger a si mesma e sua filha, e chamou a atenção o fato dos homens ao seu redor não se preocuparem com sua segurança.

Enquanto Juma se debatia com Solano na tapeira, Filó (Dira Pes) tentou conversar com José Leôncio (Marcos Palmeira) sobre a angústia que sentia após Juma sumir da fazenda pela insistência em ter sua filha em meio à natureza. Sensata, Filó sabe os perigos que a moça pode enfrentar sozinha longe de sua rede de apoio em um momento tão delicado como o nascimento de uma criança. José Leôncio, entretanto, responde apenas que "a gravidez a deixou ainda mais doida da cabeça", e se recusa a enxergar quão sozinha Juma se sente em sua fazenda.

Quando está morando junto à família do marido, Juma precisa se acostumar com uma estrutura doméstica totalmente diferente, além de não conseguir se sentir confortável com o fato de todos a tratarem como um ser selvagem. Por diversas vezes, José Leôncio ameaçou tirar Juma da tapeira à força, e chegou até mesmo a dizer que iria derrubar a casa para que ela não pudesse mais ir a lugar algum que não fosse sob seu teto.

Acuada, Juma nunca teve oportunidade para chamar a fazenda de lar. Quando fugiu para o Rio de Janeiro ao lado de Jove (Jesuíta Barbosa), a moça foi tratada como um animal exótico pelo então namorado e sua família, e foi impedida de sair do local e mantida praticamente em cativeiro.

Onde estão os homens?

Não é só José Leôncio que parece ter "lavado as mãos" em relação à segurança e felicidade de Juma. Jove tentou dissuadir a amada a deixar a casa, mas, após ela fugir para ter a criança na tapera, ele parece se preocupar pouco com o fato de Juma se sentir tão desconfortável na fazenda dos Leôncio.

Tibério (Guito) é um personagem amado pelo público por seu senso de justiça e por tratar as mulheres sem preconceito, mas até mesmo ele parece se preocupar mais com o destino de Solano do que com Juma. O processo de se transformar em onça é doloroso e traumático para Juma, que fica sem memória, mas sente no corpo as cicatrizes emocionais de ter matado um homem. Ao ver Juma arrastando o corpo de Solano pela mata, a primeira reação de Tibério é perguntar como a morte aconteceu e dizer que ela não precisa jogá-lo no rio, em vez de entender porque Juma precisou cometer o assassinato.

É Muda (Bella Campos) quem se preocupa com o estado da amiga, perguntando como ela se sente e se de fato a morte foi causada por uma onça ou por ela mesma. Filó e Muda se preocupam com o bem estar de Juma, mas os homens ao redor delas parecem apenas se preocupar com o que aconteceu com Solano.

A solidão da jovem lembra o que aconteceu com Madeleine na primeira fase de "Pantanal". Assim como Juma passou a novela toda querendo ficar em paz em sua casa, Madeleine não queria viver no Pantanal e implorou para ser levada de volta para o Rio de Janeiro. Por diversas vezes, José Leôncio prometeu que os dois iriam visitar a família da esposa, mas a promessa era apenas uma mentira para ganhar tempo e enganar Madeleine.

Quando ela engravida, José Leôncio deixa a jovem sozinha na fazenda, sem amigos e sem nenhuma forma de conversar com a família. Isolada na fazenda, Madeleine teve que dar à luz sem atendimento médico e sozinha, já que José Leôncio (Renato Góes na versão jovem) estava ausente em uma comitiva pelas matas. Quando fazendeiro retornou, ele pegou a criança no berço e, sem nenhuma explicação, cavalgou com o recém-nascido pela noite. Madeleine ficou apavorada, e jamais perdoou o então marido pelo fato.

Juma tem ainda mais motivos para ficar traumatizada com a interferência da família de José Leôncio em sua vida. Mesmo apaixonada por Jove, a jovem nunca foi totalmente aceita pelo chefe da família, que a trata como uma onça selvagem e nunca aceitou seu apego com a tapeira. Juma passou anos morando sozinha e tendo que se defender da invasão de homens e de animais, e confiar em outras pessoas sempre foi traumático. Mesmo com esse histórico, José Leôncio exigiu que a jovem imediatamente abandonasse sua vida para morar em sua fazenda, sem mostrar nenhuma empatia pela vida trágica que Juma levou antes de conhecer Jove.

Em todos os momentos da trama, são as mulheres que se apoiam. Quando Zefa foi vítima de assédio nas mãos de Renato (Gabriel Santana) e teve que ouvir histórias falsas inventadas a seu respeito, José Leôncio preferiu acreditar na palavra de Solano, um completo desconhecido, e Tenório e Renato, que já provaram na trama que não são dignos de confiança. Apenas Guta e Zuleica ficaram ao lado da jovem, e mesmo quando José Leôncio assumiu seu erro, Zefa encontrou dificuldades em fazer o fazendeiro se desculpar sem tirar o corpo fora.

O único homem que de fato ajuda Juma é o Velho do Rio. Será a entidade que fará o parto de Juma, e é o único homem que a jovem permitiu que se aproximasse de sua casa durante a novela. É sintomático que o único "homem" confiável dentro da trama seja, na verdade, um ser mitológico.