Jurerê Internacional, em Florianópolis, muda de nome e vira Jurerê In

·2 min de leitura
***ARQUIVO*** FLORIANOPOLIS - SC - BRASIL, 17-01-2016, Jurerê Internacional.  (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
***ARQUIVO*** FLORIANOPOLIS - SC - BRASIL, 17-01-2016, Jurerê Internacional. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - O bairro planejado de Jurerê Internacional, no norte da ilha de Florianópolis, mudou de nome. A Habitasul, empresa que administra o empreendimento, informou na quinta-feira (16) que o local passará a ser chamado de Jurerê In_.

O empreendimento, criado há 41 anos, é frequentado por turistas brasileiros e estrangeiros, e por famosos em festas de Réveillon e outros eventos do gênero.

A mudança de nome faz parte de uma estratégia de reposicionamento da marca do bairro, conhecido por suas casas de luxo e boates à beira mar, os beach clubs. É resultado também de consultas a moradores, turistas, comerciantes e investidores.

Em comunicado publicado no site do empreendimento, a Habitasul informa o "in" do novo nome do bairro tem relação com a "intensidade, inspiração, integração e inovação" dele.

Diz também que o empreendimento é "incomparável, incomum e instagramável" e atrai gente "inteligente, inquieta e inventiva".

"Somos e seremos sempre Jurerê Internacional. Mas é por tudo isso que você pode chamar de Jurerê in_", acrescentou a empresa, no texto.

"A ideia do 'in' é, no fundo, um convite à inclusão e um lembrete de que somos um lugar onde tanta gente diferente é bem-vinda e protagonista da nossa história", complementou Sérgio Ribas, diretor-presidente da Habitasul.

Jurerê Internacional começou a tomar forma ainda na década de 1970, quando a Habitasul iniciou a negociação para criar um loteamento no local até então chamado de praia do Forte. Anos antes, o arquiteto Oscar Niemeyer já havia projetado algumas áreas para um novo bairro na região.

A mudança vai ao encontro da estratégia do turismo de Florianópolis, que após longo período de hotéis esvaziados com a pandemia, se prepara para recuperar os patamares do movimento pré-quarentena.

A expectativa é de lotação, em média, de 95% entre dezembro e final de janeiro de hotéis e pousadas, segundo o Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares.

A cidade exige passaporte vacinal para eventos com mais de 500 pessoas. Para os demais estabelecimentos, foi facultada a adesão ao selo "local seguro".

Público frequente na cidade, os argentinos devem ganhar voos de Buenos Aires a Florianópolis duas vezes por semana, em média, na alta temporada, de pelo menos três companhias aéreas--Gol e Flybondi, em dezembro, e Aerolíneas, em janeiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos