Justiça adia retorno presencial de auditores da Receita por alta nos casos de Covid

BRASÍLIA - Diante do aumento de casos de contaminação por Covid-19 registrado nas últimas semanas, a Justiça Federal do Distrito Federal decidiu adiar neste domingo a volta presencial dos auditores fiscais da Receita que fazem parte do grupo de risco - pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, ou que sofram com problemas de obesidade, hipertensão, miocardiopatias, entre outras doenças. O retorno desse grupo de funcionários estava marcado para esta segunda-feira, dia 6 de junho.

No despacho, o juiz federal Renato Coelho Borelli escreveu que a situação atual exige "prudência". "Ter cautela nesse momento em que voltam a crescer casos de contaminação é de enorme prudência", afirmou ele, ao atender a um pedido do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco).

"Não tenho a menor dúvida que para o fortalecimento de nossa economia, o retorno das atividades essenciais do Estado é primordial, contudo, a ponderação quanto à vida e à saúde também devem ser levadas em consideração", completou o magistrado.

Neste sábado, o Brasil computou 14.644 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 31.149.174 infectados pelo coronavírus desde o começo da pandemia. A média móvel foi de 29.824 diagnósticos positivos. O número é 102% maior que o cálculo de 15 dias atrás, o que demonstra tendência de alta pelo nono dia consecutivo.

Os dados são compilados por um consórcio formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo e reúne informações das secretarias estaduais de Saúde divulgadas diariamente até as 20h.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos