Justiça amplia condenação de Alex Jones, e teórico da conspiração terá que pagar quase US$ 1,5 bi

BELO HORIZONTE, MG (FOLHAPRESS) - O teórico da conspiração americano Alex Jones foi condenado, nesta quinta-feira (10), a pagar mais US$ 473 milhões (R$ 2,5 bi) às famílias das oito vítimas do massacre de Sandy Hook. Em outubro, a Justiça já havia determinado a indenização de US$ 965 milhões -a soma total agora chega a quase US$ 1,5 bi (R$ 8 bi).

O reajuste anunciado nesta quinta diz respeito às despesas que as famílias tiveram com seus advogados para acionar Jones na Justiça. A juíza Barbara Bellis, do Tribunal Superior de Connecticut, ainda congelou os bens pessoais do conspiracionista, proibindo que ele faça qualquer transferência financeira para fora do país até o próximo dia 2, quando deve acontecer uma nova audiência sobre o caso.

Christopher Mattei, advogado das famílias, celebrou a decisão judicial e disse que ela representa "o mais alto grau de repreensibilidade e culpabilização". "Nossa esperança é que isso sirva para reforçar a mensagem deste caso: aqueles que lucram com mentiras que visam os inocentes enfrentarão a Justiça", acrescentou em um comunicado.

Ligado à ascensão da ultradireita conservadora nos últimos anos, Jones, 48, conquistou uma audiência de milhões de pessoas como apresentador de rádio e comunicador, propagando desinformação e teorias conspiratórias pelo site Infowars e pelas redes sociais. Ele também era convidado regular de podcasts e programas no YouTube.

Ele é conhecido por alegar falsamente que o assassinato de 20 alunos e 6 educadores na escola de ensino fundamental em Connecticut foi encenado pelo governo e pelos familiares. No massacre, ocorrido pouco antes do Natal de 2012, um homem de 20 anos chamado Adam Lanza matou ainda a própria mãe, antes de se matar.

Devido às mentiras contadas por Jones, os parentes das vítimas sofreram por uma década assédio e ameaças de morte por parte dos seguidores dos conspiracionistas, segundo Mattei.

O radialista também foi condenado recentemente em outro processo por difamação movido contra ele pelos pais de uma criança de seis anos assassinada em Sandy Hook. Em agosto, um júri em Austin, no Texas, decidiu que ele e sua empresa devem pagar US$ 49,3 milhões ao casal. Os advogados de Jones disseram que esperam anular a maior parte do pagamento antes que ele seja aprovado por um juiz, chamando-o de excessivo sob a lei estadual.

Os advogados das oito famílias defendem que o conspiracionista lucrou por anos com as mentiras sobre o massacre, que geraram tráfego para seu site. O engajamento, aliás, teria impulsionado a venda de seus produtos, dentre os quais suplementos alimentares. Documentos legais mostram que seus empreendimentos faturaram mais de US$ 165 milhões entre 2015 e 2018.

Segundo os advogados das famílias, Jones estava ciente de que, cada vez que espalhava mentiras sobre o massacre, as vendas de seus produtos aumentavam -criando um padrão lucrativo.

Ainda assim, é incerto se ele, de fato, tem condições de pagar as indenizações altíssimas estipuladas pela Justiça. Segundo o jornal The New York Times, um economista forense estimou em agosto que a fortuna de Jones era de no máximo US$ 270 milhões.

Além disso, tanto o Infowars quanto sua empresa-mãe, Free Speech Systems, declararam falência recentemente. As famílias alegam que essa é uma forma de Jones evitar o pagamento das indenizações. As finanças das empresas não são públicas.