Justiça arquiva caso de corrupção contra filho de ex-presidente do Equador Bucaram

·1 minuto de leitura
(Arquivo) Dalo Bucaram quando era candidato a presidência do Equador durante entrevista à AFP em Guayaquil, Equador, em 15 de janeiro de 2016

A justiça do Equador arquivou um caso de suspeita corrupção contra um dos filhos do ex-presidente Abdalá Bucaram, citado pela venda de insumos médicos a hospitais públicos em meio à pandemia, informou seu advogado nesta quinta-feira (13).

Abdalá "Dalo" Bucaram e sua esposa, Gabriela Pazmiño, "receberam a despronúncia que determina o que a defesa sempre sustentou, que nesse caso não havia elementos suficientes para determinar a participação no suposto crime organizado", disse à AFP o advogado Alfredo Arboleda, defensor de ambos.

Com a decisão, fica "determinada a inocência" de Bucaram, que era investigado por uma suposta associação ilícita para a comercialização de suprimentos médicos para hospitais de Guayaquil (sudoeste) com superfaturamento", acrescentou.

No ano passado, Dalo Bucaram e sua esposa viajaram para os Estados Unidos e depois se estabeleceram no Panamá.

Embora a Promotoria tenha apelado da decisão, "as medidas devem ser revogadas imediatamente", declarou Arboleda.

Quando começaram as investigações sobre a venda de insumos superfaturados, a polícia fez buscas na casa do ex-presidente, destituído em 1997, seis meses após assumir o cargo.

Dois outros filhos de Bucaram, Jacobo e Michel, são investigados no mesmo caso.

O primeiro cumpre prisão domiciliar por outro processo, acusado de formação de quadrilha pela venda de testes de detecção da covid-19, com envolvimento do ex-presidente. Ambos estão cumprindo prisão domiciliar.

O ex-presidente, que viveu exilado por duas décadas no Panamá, também está sendo investigado pelo suposto tráfico de bens patrimoniais.

pld/mls/ic/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos