Justiça boliviana determina transferência de ex-presidente Áñez da prisão para hospital

·1 minuto de leitura
Ex-presidente da Bolívia Jeanine Áñez em La Paz

LA PAZ (Reuters) - Um juiz boliviano determinou nesta sexta-feira que a ex-presidente Jeanine Áñez seja transferida da prisão para um hospital para receber atendimento médico imediato devido a um desequilíbrio em sua saúde, disse o advogado de defesa da ex-presidente, Ariel Coronado.

Áñez, de 53 anos, está em prisão preventiva desde segunda-feira, acusada de ter participado de um golpe no final de 2019 contra o então presidente Evo Morales, que renunciou após vencer uma eleição questionada.

A ex-presidente interina nega as acusações e na quarta-feira já havia sofrido uma descompensação, razão pela qual foi solicitada sua transferência para uma instituição de saúde, mas que foi posteriormente cancelada.

"Confirmamos que sua saúde ainda está delicada", disse Coronado à Rádio Compañera.

O advogado esclareceu que Áñez não está realizando uma "greve de fome" como indicavam algumas versões, mas que tem dificuldades para se alimentar.

Outros membros do ex-gabinete do governo Áñez também foram detidos por acusações de terem instigado o suposto golpe contra Morales.

(Reportagem de Danny Ramos e Mónica Machicao)

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447702))

REUTERS TR PF