Justiça chilena rejeita ação policial contra grupo feminista LasTesis

·2 minuto de leitura
Membros do grupo feminista LasTesis participam de manifestação durante o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher em Santiago, Chile, em 25 de novembro de 2020.

Um tribunal chileno indeferiu nesta segunda-feira (4) uma ação movida pela polícia contra as quatro integrantes do grupo feminista LasTesis, reconhecidas por sua atuação "Um estuprador no seu caminho", na qual foram acusadas de "incitação à violência".

Conforme esclarecido em audiência pela juíza Ingrid Alveal, do Juizado de Garantia da Cidade de Valparaíso, o Ministério Público não conseguiu comprovar a existência de relação entre as falas e as ações do grupo feminista e eventuais agressões recebidas por policiais.

Em junho passado, os Carabineros de Chile, a polícia militar do país, denunciaram LasTesis por incitar à violência após a transmissão de um vídeo em que as quatro integrantes apareciam em frente a uma delegacia de polícia, vestidas com seus tradicionais macacões vermelhos, máscaras e uma bandeira chilena em um fundo preto, enquanto uma voz feminina lia um texto contra os Carabineros.

"Eles nos perseguem, bloqueiam as saídas de nossas casas, provocam, se infiltram como manifestantes e começam a queimar tudo. Desfilam armados em nossas ruas. Jogam (bombas de) gases, espancam, torturam, estupram, destroem, cegam. O governo não ouve e renova as armas da polícia. Fogo nos pacos (polícia), fogo na yuta (polícia)", ouviu-se no vídeo disponível nas redes sociais.

De acordo com a denúncia dos Carabineros, "é evidente que a convocação em questão visa a criar uma animosidade intencional" em relação à instituição.

No Instagram, o grupo, formado pelas artistas Paula Cometa, Lea Cáceres, Sibila Sotomayor e Dafne Valdés, agradeceu as manifestações de apoio desta segunda-feira.

Elas afirmaram esperar que “nenhum grupo artístico ou artista no Chile tenha que enfrentar um processo judicial pelo conteúdo de suas obras”.

A performance "Um estuprador em seu caminho", que se tornou um hino feminista mundial, foi apresentada pela primeira vez em novembro de 2019 nas ruas de Valparaíso, 120 km a oeste de Santiago, em meio a protestos sociais que explodiram no Chile a partir de 18 de outubro daquele ano.

Em setembro passado, a revista americana Time elegeu LasTesis entre os 100 personagens mais influentes do ano, após destacar que o hino criado pelas mulheres chilenas "mostrou como a arte popular pode ser um fator para mudar o mundo, e não apenas para divertir".

pa/mps/ap/mvv