Justiça da Espanha confisca R$ 2,3 bi em bens de tio do ditador sírio Assad

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Suprema Corte espanhola afirmou nesta terça-feira (4) que confiscou bens no valor de US$ 736 milhões (R$ 2,3 bilhões) pertencentes a Rifaat al-Assad, tio do ditador sírio Bashar al-Assad.

Rifaat é suspeito de lavagem de dinheiro e já era alvo de uma investigação na França pela mesma acusação e por fraude fiscal. O advogado dele não foi localizado.

Segundo a Corte espanhola, o juiz Jose de la Mata ordenou o confisco de casas de veraneio, apartamentos de luxo e propriedades rurais nas cidades de Puerto Banus e Marbella, no sul da Espanha.

Outros países europeus colaboraram com a investigação, que teve início em dezembro passado na Espanha. Ao todo, foram alvo da ação 503 propriedades. Também foram congeladas contas bancárias no nome de Rifaat e de companhias ligadas a ele, a algumas de suas mulheres, filhos e noras.

A Suprema Corte informou que Rifaat é suspeito de usar dinheiro dos cofres públicos para acumular um império imobiliário no exterior. Ele foi enviado ao exílio nos anos 1980 pelo ditador Hafez Assad, pai de Bashar, por medo que o irmão orquestrasse um golpe de Estado.