Justiça decreta prisão preventiva de suspeita de aplicar golpe milionário na mãe

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Justiça do Rio de Janeiro decretou a prisão preventiva do grupo suspeito de aplicar um golpe milionário em Geneviève Boghici, 82, que envolveu o roubo de quadros de Tarsila do Amaral. Entre os detidos está Sabine Boghici, filha da idosa. Outras cinco pessoas foram denunciadas e estão presas por suspeita de participação no crime.

A suspeita é que Geneviève tenha levado um prejuízo em torno de R$ 725 milhões. A defesa da filha nega que ela tenha roubado da mãe.

O pedido de conversão de prisão temporária para preventiva partiu do Ministério Público, que acompanha as investigações.

Além da manutenção das prisões, a Justiça acatou pedido da Promotoria e decretou a quebra do sigilo telefônico dos aparelhos apreendidos na tentativa de localizar e reaver bens subtraídos da idosa, bem como o sequestro de bens imóveis e móveis pertencentes aos denunciados, que tenham sido adquiridos com o dinheiro tomado da vítima.

O grupo havia sido preso em agosto, durante a Operação Sol Poente, conduzida pela Delegacia Especial de Atendimento à Pessoa de Terceira Idade.

Conforme a denúncia, o golpe teria sido elaborado por Sabine com a ajuda de uma falsa vidente, Rosa Stanesco, conhecida por Mãe Valéria de Oxóssi. O crime ainda contou com a participação de familiares de Stanesco.

Entre os anos de 2020 e 2021, a idosa foi convencida pelo grupo de que a vida de sua filha estava em perigo e que, por isso, seria necessário um trabalho espiritual para salvá-la. Impressionada, a idosa acabou lesada, tendo realizado oito transferências bancárias para pagar pelo suposto serviço espiritual.

Para que o golpe prosperasse, a própria filha teria passado informações pessoais sobre sua família. Segundo as investigações, em uma fase mais recente houve a venda de bens da idosa, como obras de arte da herança do colecionador e marchand Jean Boghici, marido de Geneviève, falecido em 2015. O espólio do homem está em disputa na Justiça.

A fase final do golpe compreendeu o roubo e a venda de quadros famosos, de autores como Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Rubens Gerchman e Cícero Dias, detalhou o Ministério Público.

De acordo com a Promotoria, durante a pandemia de Covid-19, a idosa foi mantida em cárcere privado, em seu apartamento na avenida Atlântica, em Copacabana, sob grave ameaça e violência, sendo agredida e com restrição na alimentação.

A reportagem procurou a defesa de Sabine Boghici e Rosa Stanesco nesta quarta-feira (7) por telefone e e-mail, mas não obteve retorno. Logo após a prisão, em 11 de agosto, o advogado Sergio Guimarães Rieira, que defende Sabine e Rosa, afirmou que não houve golpe, mas uma disputa judicial envolvendo os bens do pai de sua cliente.

QUAIS AS OBRAS FORAM SUBTRAÍDAS E RECUPERADAS

Encontradas na casa de Rosa Stanesco Nicolau, companheira de Sabine

1 - "Ela", aquarela de Cícero Dias, avaliada em R$ 1 milhão

2 - Aquarela em papel sem título, de Cícero Dias, avaliada em R$ 1 milhão

3 - "Sol Poente", de Tarsila do Amaral, avaliada em R$ 250 milhões

4 - "Pont Neuf", de Tarsila do Amaral, avaliada em R$ 150 milhões

5 - "Retrato", de Michael Macreau, avaliada em R$ 150 mil

6 - "Rue des Rosiers", de Emeric Marcier, avaliada em R$ 150 mil

7 - "Eglise Saint Paul", de Emeric Marcier, avaliada em R$ 150 mil

Devolvidas pela galeria de São Paulo

1 - "O Menino", de Alberto Guignard, avaliada em R$ 2 milhões

2 - "Mascaradas", de Di Cavalcanti, avaliada em R$ 1,5 milhão

3 - "O Sono", de Tarsila do Amaral, avaliada em R$ 300 milhões

Vendidas para o Malba (Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires)

1 - "Maquete Para Meu Espelho", de Antônio Dias, avaliada em R$ 1,5 milhão

2 - "Elevador Social", de Rubens Gerchman, avaliada em R$ 1,5 milhão

Outras

1 - "Porto de Pesca em Hong Kong", de Kao Chien-Fu, avaliada em R$ 1 milhão

2 - "Coruja ao Luar", de Kao Chi-Feng, avaliada em R$ 1 milhão

3 - "Mulher na Igreja", de Ilya Glazunov, avaliada em R$ 500 mil

4 - Desenho representando uma paisagem, de 1935, de Alberto Guignard, avaliada em R$ 150 mil