Justiça decreta prisão de suspeito de matar cabeleireira ao lado de bebê em SP

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Justiça de São Paulo decretou a prisão temporária por 30 dias do mexicano Daniel Ospina Garcia, 35, principal suspeito pelo assassinato da namorada, a cabeleireira Sandra Maria de Souza Silva, 34. A informação foi confirmada pela Polícia Civil, autora do pedido de prisão.

Procurado, o Tribunal de Justiça de São Paulo informou que o inquérito tramita em segredo de Justiça e que não há informações disponíveis.

A reportagem não conseguiu contato com Garcia.

Sandra foi encontrada morta ao lado da filha de oito meses, que estava em um berço, no apartamento em que ambas moravam na região da Sé, no centro de São Paulo.

Quando policiais militares foram até o local, na tarde do domingo (24), após serem acionados por moradores do edifício, encontraram a criança debilitada devido à falta de comida. A suspeita é que a mulher tenha sido assassinada na sexta-feira (22).

Na delegacia, vizinhos relataram que ela tinha um namorado colombiano chamado David Rodrigues --que a polícia suspeita ser, na verdade, Garcia. Segundo os moradores do prédio, o homem estava sempre no local, sendo visto pela última vez na sexta-feira. Naquele dia, ele teria deixado o apartamento carregando diversas bolsas.

Garcia, que agora passa a ser procurado, possui três passagens por furto, sendo uma delas neste ano. Os outros casos foram registrados em 2014 e 2021.

Além dos crimes de furto, o homem também possui um registro por tráfico na base de dados da Polícia Federal.

Segundo o boletim de ocorrência, Sandra foi encontrada por uma vizinha que, incomodada com o sumiço dela, chamou um chaveiro.

Ao entrarem no imóvel, os policiais se depararam com o corpo de Sandra na cama. A filha dela estava no berço, com uma marca na perna. O suspeito não é o pai da criança.

Sandra tinha várias marcas de agressão pelo corpo. Ao lado da cama, havia manchas de sangue no chão e na parede.

O boletim de ocorrência cita que nenhum objeto que pode ter sido usado no ataque foi localizado no apartamento.

A criança foi levada ao pronto-socorro da Santa Casa de Misericórdia, na região central. O pai da criança esteve na Santa Casa de Misericórdia. Ele, que tem 31 anos, também foi ouvido pela polícia.

ONDE DENUNCIAR CASOS DE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

190 - Polícia Militar

Ligue 180 - Central de Atendimento à Mulher

Disque 100 - Disque Direitos Humanos

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos