Justiça desiste de apresentar acusações contra Giuliani por laços com a Ucrânia

Rudy Giuliani, ex-advogado de Donald Trump, não vai responder a acusações relacionadas a uma investigação federal sobre seus vínculos com a Ucrânia, informou a promotoria nesta segunda-feira (14).

Em uma carta ao juiz encarregado do caso, o promotor do distrito sul de Nova York disse que a investigação do grande júri terminou e "não serão apresentadas acusações penais".

Giuliani, de 78 anos, era o advogado de Trump quando o então presidente foi submetido a um processo de impeachment, em dezembro de 2019, por buscar ajuda política da Ucrânia.

Giuliani, que foi um renomado promotor antes de ser prefeito de Nova York, foi investigado por tentar ajudar Trump a encontrar vínculos comprometedores na Ucrânia sobre seu adversário nas eleições, o democrata Joe Biden, e o filho dele, Hunter.

Agentes do FBI fizeram uma batida na casa e nos escritórios de Giuliani em Nova York em abril do ano passado.

A investigação realizada para o julgamento de impeachment de Trump revelou um grande envolvimento de Giuliani em temas ucranianos para que Trump destituísse a embaixadora dos Estados Unidos em Kiev, Masha Yovanovitch.

Também ajudou a pressionar o governo ucraniano para que desse informações que sustentassem a denúncia infundada de que Biden teria vínculos corruptos com este país.

Giuliani também enfrenta outros problemas legais.

Um fabricante de máquinas de votação o processou por 1,3 bilhão de dólares por divulgar informações falsas depois das eleições presidenciais de novembro de 2020. Segundo Giuliani, estas máquinas fizeram parte de uma suposta fraude eleitoral, que levou à derrota de Trump.

Giuliani perdeu no ano passado sua licença de advogado por afirmar que Trump perdeu as eleições por causa de uma fraude.

cl/dw/gm/ll/mvv