Justiça dos EUA aponta especialista em crimes de guerra para investigar Trump

Por Sarah N. Lynch

WASHINGTON (Reuters) - O procurador-geral dos Estados Unidos, Merrick Garland, anunciou nesta sexta-feira a nomeação do promotor de crimes de guerra Jack Smith para coordenar as investigações do Departamento de Justiça sobre Donald Trump, incluindo a condução de documentos sensíveis pelo ex-presidente após as eleições de 2020.

O anúncio de Garland veio três dias após Trump, anunciar sua pré-candidatura à Presidência dos EUA para 2024. Garland disse que a candidatura de Trump, assim como a intenção do presidente democrata Joe Biden de concorrer à reeleição tornaram necessária a indicação de um conselheiro especial.

Smith irá supervisionar a investigação sobre a condução de documentos do governo por Trump após sua saída da Casa Branca, além do inquérito sobre as tentativas de interferir na transição pacífica de poder após a eleição de 2020, disse Garland.

"A indicação de um conselheiro especial neste momento é a coisa certa a se fazer", disse Garland em entrevista coletiva.

Smith, de orientação política independente, é procurador-chefe para o tribunal especial em Haia, encarregado de processar crimes de guerra em Kosovo. Antes disso, ele supervisionou a seção de integridade pública do Departamento de Justiça e trabalhou como procurador estadual e federal em Nova York.

Esta será a terceira vez que um conselheiro especial é apontado pelo Departamento de Justiça para conduzir um caso politicamente delicado desde 2017. Tais procuradores tipicamente têm um alto grau de independência para evitar potenciais conflitos de interesse.

(Reportagem de Sarah Lynch e Rami Ayub)