Justiça identifica deputado, políticos e empresários envolvidos em atos golpistas

Listas com o nome de organizadores apontados como supostas lideranças e financiadores dos atos golpistas pró-Bolsonaro que realizaram bloqueios ilegais em rodovias federais e em quartéis pelo país após a vitória de Lula (PT) foram enviadas por órgãos policiais e Ministério Público para o Supremo Tribunal Federal.

As autoridades identificaram deputado, políticos, policiais e empresários, entre as pessoas organizadoras e participantes de atos golpistas realizados por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) em todo o país desde a derrota no 2º turno da eleição presidencial, no dia 30 de outubro.

Insatisfeitos com o resultado das urnas, os manifestantes pediam intervenção militar, o que vai contra a Constituição brasileira.

Os nomes de organizadores constam em listas enviadas por órgãos policiais e MP para o STF em um processo que apura as responsabilidades sobre os bloqueios golpistas.

Já foram identificadas lideranças no Acre, Ceará, Minas Gerais, Goiás, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Pernambuco.