Justiça italiana julgará ex-ministro Salvini por retenção de imigrantes

·1 minuto de leitura
O senador italiano e chefe do partido Liga do Norte, Matteo Salvini, em 1º abr. 2021

O ex-ministro italiano do Interior Matteo Salvini, de extrema direita, será julgado pela retenção de imigrantes no mar Mediterrâneo em 2019, quando era responsável pelas forças de segurança e de fronteira - decidiu o tribunal de Palermo neste sábado (17).

O julgamento do ex-ministro, que também era vice-presidente do governo de Giuseppe Conte, começará em 15 de setembro neste tribunal da ilha italiana da Sicília, ao sul.

Salvini é acusado do sequestro de pessoas e de abuso de poder por ter proibido o desembarque de 147 migrantes. Este grupo havia sido resgatado no Mediterrâneo pela embarcação humanitária espanhola "Open Arms" em agosto de 2019. Eles ficaram seis dias em alto-mar, perto da ilha italiana de Lampedusa, sem poder desembarcar, devido à recusa das autoridades italianas.

"A defesa da pátria é o dever sagrado de qualquer cidadão (...) Vou ser julgado por isso? Por ter defendido meu país? Irei (ao julgamento) de cabeça erguida", tuitou o líder da Liga, que faz parte do atual governo dirigido por Mario Draghi.

"Trata-se de uma decisão mais política do que judicial", criticou Salvini, na saída do tribunal.

Se for considerado culpado, pode ser condenado a uma pena máxima de 15 anos de prisão.

Já a organização Open Arms avaliou positivamente a decisão do tribunal siciliano e disse estar "feliz por todas as pessoas que resgatamos".

O ex-ministro do Interior também está sendo julgado em outro caso relacionado à retenção, supostamente ilegal, de mais de 100 migrantes em alto-mar em julho de 2019.

glr/oaa/eb/eg/tt