Justiça manda Caxias cumprir Plano Nacional de Imunização e impõe multa diária de R$ 50 mil em caso de descumprimento

Extra
·2 minuto de leitura

Depois de um dia de caos na vacinação em Duque de Caxias, com filas quilométricas e muita confusão, a Justiça do Rio determinou que o município cumpra o Plano Nacional de Imunização. Segundo a decisão, o prefeito Washington Reis terá de pagar pessoalmente uma multa diária de R$ 50 mil caso descumpra a ordem judicial. A informação foi publicada pelo portal "G1".

A juíza Elizabeth Maria Saad exigiu ainda que a cidade reorganize toda a campanha de vacinação seguindo uma ordem etária dos idosos, dos mais velhos para os mais novos, já que a letalidade da doença aumenta de acordo com a idade do paciente. Nesta quinta, Reis havia anunciado que as doses aplicadas nesta sexta teria como alvo qualquer pessoa com mais de 60 anos, sem qualquer distinção além dessa. Na capital do estado, por exemplo, a imunização teve como alvo, nesta sexta-feira, apenas os idosos de 78 anos ou mais.

Na decisão, a magistrada afirma que a mudança na ordem de prioridade pode causar "danos irreparáveis", tendo em vista o número limitado de vacinas. A juíza deu um prazo de 48 horas para que o prefeito e o secretário municipal de Saúde, Antônio Manoel de Oliveira, comprovem estar seguindo as determinações impostas, sob pena de multa diária de R$ 50 mil.

Ao anunciar que começaria a vacinar, nesta sexta-feira, quem tem mais de 60 anos, Washington Reis recebeu como recomendação do Ministério Público que desse prioridade às idades mais elevadas. "Quem é ela para dizer o que tenho que fazer com a cidade?", questionou o prefeito, referindo-se à promotora que elaborou a orientação.

Nesta sexta, o dia foi marcado por, além de aglomeração, desinformação e filas enormes em Caxias, além de frustração e revolta para a grande maioria das pessoas que procuraram os nove postos de saúde do distrito de Xerém. As 6.100 doses logo acabaram, e a multidão não se conformava em voltar para casa sem ter sido imunizada.