Justiça manda São Paulo recontratar 37 profissionais do Mais Médicos

ELAINE GRANCONATO
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP 16.09.2019: O prefeito Bruno Covas durante a cerimônia de assinatura do contrato de concessão do Pacaembu, na zona oeste de São Paulo (SP). (Foto: Paulo Lopes/BW Press/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Justiça Federal de São Paulo determinou nesta terça-feira (17) que a Prefeitura de SP, sob gestão Bruno Covas (PSDB), e o Ministério da Saúde prorroguem o contrato de 37 profissionais do Mais Médicos, programa do governo federal, por mais seis meses. 

O convênio entre a administração municipal e o Ministério da Saúde se encerrou no último domingo (15), o que deixou várias unidades da rede básica de saúde sem médicos para atender a população nas cinco regiões da cidade. A maioria dos equipamentos fica em área de periferia e de alta vulnerabilidade social.

A ação civil pública, com pedido de liminar, foi protocolada na última quinta-feira (12) por três entidades representantes dos usuários. A ação pedia a prorrogação por 36 meses.

Procurados, a gestão Covas e o Ministério da Saúde não se manifestaram sobre a decisão até a publicação desta reportagem.