Justiça manda soltar jovem preso após ser confundido com filho de traficante

·1 minuto de leitura

A juíza Juliana Ferraz Krykthtine, da 4ª Vara Criminal de Niterói, determinou na manhã desta quarta-feira a soltura do assistente de logística Vinícius Matheus Barreto Teixeira, de 21 anos, detido no último dia 4, dentro da empresa onde trabalha há dois anos, em Macaé.

Ele foi apontado como filho do traficante Messias Gomes Teixeira, vulgo Feio, de 42 anos, e como responsável por recolher o lucro obtido com a venda de drogas do tráfico do Morro do Palácio, no Ingá, em Niterói, além de levar armas e munições para o morro sempre que solicitado. A família, no entanto, nega as acusações. O nome do pai do rapaz é homônimo ao do traficante.

Desde a última semana a família do jovem peregrina pela Cadeia Pública José Frederico Marques pedindo a liberação do jovem. O alvará de soltura já foi expedido e ele deverá ser solto até o final do dia.

— Estou muito feliz. Agora só quero abraçar o meu filho — disse Paula Barreto Gomes Teixeira, mãe de Vinicius.

Pela manhã, os pais de Vinícius o visitaram. Por mais de duas horas o casal ficou dentro do presídio. O pai de rapaz deixou o local passando mal.

— Foram dez dias sofrendo, mas graças a Deus (ele está solto). Deus é fiel e agora é só alegria — disse o pai de Vinícius.

O traficante Messias foi preso e denunciado por chefiar o tráfico no Morro do Urubu, em Pilares, e ser "arrendatário" do tráfico no Morro do Palácio. Segundo familiares e o advogado de Vinícius, a polícia errou ao identificá-lo como filho de um traficante. Na realidade, seu pai é o funcionário de transporte de equipamentos Messias Gomes Teixeira, de 46 anos, homônimo do criminoso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos