Justiça marca audiência para discutir possível greve dos profissionais da Educação estadual

Extra
·1 minuto de leitura
Os profissionais da rede estadual aprovaram a greve em assembleia virtual

O Presidente do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), desembargador Claudio de Mello Tavares, concedeu liminar parcial ao governo do estado, em relação à greve declarada pelo Sindicato Estadual dos Profissioanis da Educação do Rio (Sepe-RJ), caso o retorno às aulas aconteça antes da redução da taxa de contágio do coronavírus e outras reivindicações da categoria.

Os profissionais da rede estadual aprovaram a greve — a partir do dia 5 de agosto ou em outra data determinada pelo governo do estado — na assembleia virtual realizada no último dia 1º.

O desembargador determinou a manutenção de 70% do total de servidores para as atividades relacionadas ao serviço de educação e em todas as atividades administrativas presenciais e designou uma audiência de conciliação para o dia 1º de setembro de 2020, às 14h, com a participação do sindicato, da Procuradoria do Estado e do Ministério Público do Rio.

"A 'Greve pela Vida' é o último recurso da categoria contra a intransigência do governo estadual que, alheia às orientações contrárias da comunidade científica, assim como, dos profissionais de Educação, da maioria da população e de todas as solicitações de negociação do sindicato, insiste em reabrir as escolas e os refeitórios em plena pandemia o que acarretará uma circulação e aglomeração maior de pessoas, neste caso, alunos, profissionais de educação e membros da comunidade escolar que correrão o risco de contágio, adoecimento e morte", dilvulgou o Sepe-RJ.