Justiça nega pedido de Britney Spears para suspender tutela do pai; entenda o caso

·2 minuto de leitura

A Justiça de Los Angeles negou o pedido da cantora Britney Spears para que seja removida a tutela que seu pai James Spears exerce desde 2008 sobre seu patrimônio e demais questões comerciais e de carreira. Na semana passada, Britney participou de uma audiência virtual em que classificou a tutela como "abusiva". A artista alegou que havia passado boa parte do tempo medicada, inviabilizada pelo pai na tomada de decisões profissionais e pessoais, até mesmo as relativas a amizades.

A cantora também afirmou que foi impedida até de remover um método contraceptivo (DIU), mesmo querendo ter mais filhos. Após a audiência, Britney utilizou as redes sociais para mandar um recado aos fãs: "Peço desculpas por fingir que estive bem".

De acordo com a CNN, a negativa da juíza Brenda Penny não levou em consideração o depoimento de Britney Spears, realizado na quarta-feira (23). A decisão do Tribunal Superior de Los Angeles, na verdade, está vinculada a um pedido feito pelo advogado da cantora, Samuel Ingham III, em setembro de 2020.

No pedido, Ingham solicitava que a tutela de James Spears fosse suspensa e o controle exclusivo do patrimônio de Britney fosse transferido para a empresa Bessemer Trust Company of California.

Ainda de acordo com a CNN, o pai da artista pediu ao tribunal que investigue as acusações de que ele a teria medicado com lítio e obrigado Britney a se apresentar contra sua própria vontade.

O pai da cantora, James P. Spears, começou a administrar a fortuna da artista em 2008, logo depois que Britney, de 39 anos, foi duas vezes levada a um hospital de ambulância para avaliações psiquiátricas involuntárias em meio a uma série de aparições públicas que geraram preocupações em torno de sua saúde mental e abuso de substâncias químicas.

Os registros do tribunal recém-obtidos mostram que Britney questionou a aptidão do pai para gerir seus lucros. No ano passado, o advogado nomeado pelo tribunal para defender a cantora, Samuel Ingham III, disse ao juiz que ela estava “com medo de seu pai”, que gerencia um patrimônio estimado em quase US$ 60 milhões.

Representantes de Jamie, 68, não quiseram comentar. Mas eles já haviam dito anteriormente que a tutela era necessária para "proteger Britney da exploração e do mal" e que Jamie "tem sido um pai obediente, agindo por amor à filha".

— Sempre que Britney quiser encerrar sua tutela, ela pode pedir a seu advogado para entrar com uma petição para encerrá-la. Ela sempre teve esse direito, mas em 13 anos nunca o exerceu — disse Vivian Lee Thoreen, advogada de James Spears, em uma declaração à People no início deste ano. — Britney sabe que seu pai a ama, e que ele estará lá para ela quando e se ela precisar dele, assim como ele sempre esteve — com tutela ou não — finaliza.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos