Justiça ordena volta às aulas de professores mesmo sem segunda dose da vacina em SP

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Justiça de São Paulo determinou que professores da rede estadual de São Paulo devem retornar às aulas presenciais mesmo sem ter recebido a segunda dose da vacina contra a Covid-19.

​O Tribunal de Justiça de São Paulo suspendeu liminar em ação movida pela Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) que garantia que professores só deveriam retornar às aulas presenciais 14 dias após a segunda dose da vacina contra o coronavírus.

Desta forma, os servidores da rede estadual deverão retornar às atividades presenciais a partir de segunda-feira (23). Os que pertencem a grupos de risco poderão retornar 14 dias após terem se vacinado com a segunda dose.

As aulas retornaram no estado de São Paulo no último dia 2 de agosto e com possibilidade de 100% dos alunos em classe, desde que mantida a distância mínima de 1 metro entre eles.

A Secretaria Estadual de Educação de SP afirma ainda que foram adquiridos EPIs (equipamentos de proteção individual) e itens de higiene, entre eles 228,3 mil litros de álcool em gel e 12 milhões de máscaras de tecido.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos