Justiça do Rio condena viúva e PM por morte de embaixador grego

·1 minuto de leitura

A viúva do embaixador grego Kyriakos Amiridis, Françoise de Souza Oliveira, e o policial militar Sérgio Gomes Moreira Filho foram condenados pela morte do embaixador grego ocorrida em 2016. François foi condenada a 31 anos de reclusão e Sérgio, a 22 anos, inicialmente em regime fechado. Eduardo Moreira Tedeschi de Melo, parente de Sérgio, foi absolvido da acusação de homicídio, mas condenado por ocultação de cadáver a um ano de reclusão, em regime aberto. Eduardo já cumpriu sua pena. ()

A decisão é do Conselho de Sentença da 4ª Vara Criminal de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O julgamento teve duração de três dias e foi presidido pela juíza Anna Christina da Silveira Fernandes. No total, foram ouvidas 18 testemunhas.

“As circunstâncias do crime são atípicas, vez que ele foi executado durante a época das festas natalinas, onde há uma natural aproximação das famílias, sendo que, nesse caso, esta família foi esfacelada diante de uma brutalidade que mais se aproxima a um ato bestial”, escreveu a juíza na decisão.

De acordo com a denúncia do Ministério Público estadual, Françoise, viúva do embaixador, planejou, com o amante e policial militar Sérgio Gomes, o assassinato de Kyriakos. O policial teria sido ajudado por Eduardo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos