Justiça de SP determina novamente a prisão de Edinho, filho de Pelé

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Tribunal de Justiça de São Paulo determinou nesta sexta-feira (31) a expedição do mandado de prisão de Edson Cholbi do Nascimento, o Edinho, ex-goleiro e filho de Pelé. Ele foi condenado a 12 anos e 10 meses em regime fechado pelo crime de lavagem de dinheiro e associação ao tráfico de drogas.

A decisão vem após a Justiça rejeitar os embargos de declaração do advogado de Edinho, Eugênio Malavasi. O ex-goleiro já havia tido a prisão decretada pelo TJ-SP em fevereiro deste ano, mas cinco dias depois a decisão foi suspensa por uma liminar do STJ (Supremo Tribunal de Justiça), que afirmou que a defesa do filho de Pelé ainda não havia esgotado todas as possibilidades diante dos tribunais.

Agora, com a rejeição dos embargos, o Tribunal considera que a análise do processo se encerrou na segunda instância, o que significa que o réu deve ser preso. O mandado deve ser expedido na próxima terça (4) ou quarta (5). Assim que isso acontecer, Edinho pode ser preso.

De acordo com o advogado, porém, cabem ainda outros embargos e recursos. "Será feito no início da próxima semana", afirma Malavasi. Além disso, a defesa já entrou com um pedido de habeas corpus no STJ para evitar a prisão do ex-goleiro.

O filho de Pelé já sabe da decisão da Justiça e, caso seja mantida, ele irá se apresentar às autoridades, diz o advogado. Procurado, o Tribunal de Justiça afirmou que só poderá passar mais informações sobre o caso na segunda (3).

ENTENDA O CASO

Edinho foi condenado em maio de 2014 a 33 anos e 4 meses de reclusão por acusações de lavagem de dinheiro proveniente de tráfico de drogas. Além do filho de Pelé, outras quatro pessoas foram condenadas pela mesma prática. Eles são investigados desde 2005.

Edinho é acusado de ajudar em operações financeiras de Ronaldo Duarte Barsotti, o Naldinho, apontado como um dos maiores traficantes da região da Praia Grande, no litoral paulista. Em 2005, o ex-goleiro foi preso por causa desta suposta ligação. Na época, ele negou o envolvimento e disse que era apenas usuário de drogas. Um ano depois, no entanto, o Ministério Público o denunciou por lavagem de dinheiro. Ele acabou preso por 47 dias.

Em julho de 2014, o ex-atleta foi preso por não atender a medidas impostas pela Justiça para que permanecesse em liberdade. O ex-jogador foi solto dias depois. Na época, o ex-goleiro recorreu em liberdade, mas se apresentou voluntariamente em novembro de 2014. Edinho foi solto no dia seguinte.

O Tribunal de Justiça determinou ainda a prisão do ex-goleiro do Santos, que aguardava o julgamento em liberdade. Condenado a 33 anos e 4 meses de prisão, ele teve sua pena reduzida para 12 anos e 10 meses em regime fechado. Cinco dias depois, o Superior Tribunal de Justiça deferiu liminar para suspender a prisão.