#Justiçaparaleda: candidata à vereadora em Resende vai registrar agressão em delegacia, mas acaba presa por desacato

Fernanda Alves
·1 minuto de leitura

A hashtag em apoio à Leda Mota (PCdoB), candidata à vereadora em presa acusada de desacatar policiais da 89ª DP (Resende), onde tinha ido registrar uma agressão sofrida por seu marido, tem movimentado as redes nesta sexta-feira.

A divulgação do caso foi feita pela deputada federal Jandira Feghali (PCdoB) em sua conta no Twitter, puxando a hashtag #JustiçaParaLedaMota. Na publicação, a parlamentar afirmou que Leda passou a noite em uma cela na delegacia, após ter sido espancada pelo marido. Ela compartilhou também um vídeo que mostra o homem quebrando os móveis do casal.

A Polícia Civil informou que Edmilso Ribeiro da Silva foi preso pelos crimes de dano ao patrimônio e violência doméstica e será submetido à audiência de custódia. Em vídeo, a inspetora Rachel Mattoso, que trabalha no Núcleo de Atendimento à Mulher da 89ª DP (no NUAM ) e atendeu Leda, contou que a ela estava muito alterada e acabou causando um tumulto que chegou a paralisar o atendimento da delegacia.

A candidata foi presa em flagrante por atentar contra o funcionamento de serviço público e desacato e liberada após audiência de custódia.