Justiça condena funcionário de asilo que deixou idosos sozinhos

O funcionário deixou 26 idosos sozinhos durante a noite. Foto: Pixabay

O TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) informou, nesta quarta-feira (1), que a 9ª Câmara de Direito Criminal manteve a condenação de um funcionário de um asilo que deixou 26 idosos sozinhos durante a noite.

A Justiça de São Paulo manteve a condenação de um ano e dois meses de detenção em regime inicial semiaberto por abandono de incapazes na Comarca de Pereira Barreto, no interior de São Paulo. O julgamento teve votação unânime dos desembargadores Antonio Sérgio Coelho de Oliveira e Carlos Eduardo Andrade Sampaio.

Tudo aconteceu em março de 2019, quando o réu deixou os idosos que estavam sob seus cuidados e vigilância durante a noite. De acordo com os autos, todos os idosos que ficaram no local eram incapazes de se defender e precisavam de cuidados básicos do funcionário. 

Leia também:

O funcionário já tinha sido condenado em primeira instância, mas recorreu da sentença. Ele queria diminuir a pena por ter, supostamente, confessado o crime que tinha cometido. No entanto, o desembargador Silmar Fernandes, relator da apelação, disse que essa atenuante não se aplica ao caso dele.

Isso acontece pelo fato de o réu não ter aparecido em juízo quando foi intimado. Além disso, o desembargador afirmou que o crime cometido pelo funcionário foi grave por ele ser reincidente. Segundo Fernandes, o réu deixou os idosos “à própria sorte em local que deveria ser porto seguro a eles e seus familiares”.