Justiça determina prisão de 11 envolvidos em mortes de tio e sobrinho após furto em supermercado

·2 minuto de leitura
Rapazes foram mortos após furto em filial do Atakarejo (Foto: Reprodução)
Rapazes foram mortos após furto em filial do Atakarejo (Foto: Reprodução)
  • Justiça determinou que 11 dos envolvidos nos assassinatos de Bruno e Yan Barros sejam presos

  • Tio e sobrinho, os rapazes foram mortos depois de furtar carne em uma filial do supermercado Atakarejo

  • Eles foram levados por funcionários do estabelecimento para serem mortos por criminosos ligados ao tráfico 

A Justiça determinou a prisão de 11 envolvidos nos assassinatos de dois rapazes que furtaram um supermercado na Bahia. A decisão foi anunciada pelo Ministério Público do estado nesta quinta-feira e informada pelo G1.

Na última segunda-feira, o MP-BA havia denunciado e pedido a prisão dos 13 suspeitos de envolvimento nos crimes que resultaram nas mortes de Bruno Barros Silva, de 29 anos, e seu sobrinho, Yan Barros, de 19.

Leia também:

Os dois rapazes foram assassinados no dia 26 de abril. Após furtarem carne do supermercado Atakarejo, eles foram levados por funcionários para serem executados por criminosos ligados ao tráfico de drogas em Salvador.

A apuração do caso durou dois meses e contou com uma operação policial. O inquérito foi concluído no dia 6 de julho, quando a Polícia Civil indiciou 23 pessoas, entre funcionários do mercado e suspeitos de envolvimento com o tráfico de drogas. Destes, dez já estavam presos.

Yan Barros da Silva, 19, foi encontrado morto em Salvador - Foto: Arquivo pessoal
Yan Barros da Silva, 19, foi encontrado morto em Salvador - Foto: Arquivo pessoal

Entre os que tiveram a prisão decretada nesta quinta, está o gerente-geral da unidade do Atakarejo, Agnaldo Santos de Assis. Ele, Cláudio Reis Novais e Cristiano Rebouças Simões, ambos prepostos da mesma loja, foram denunciados por homicídio qualificado por motivo torpe, meio cruel e sem possibilitar a defesa das vítimas, constrangimento ilegal e extorsão.

Apontados como responsáveis por levar as vítimas aos executores, Victor Juan Caetano Almeida, David de Oliveira Santos e Francisco Santos Menezes foram acusados de homicídio qualificado e cárcere privado.

Já Lucas dos Santos, João Paulo Souza Santos, Alex de Oliveira Santos, Janderson Luís Silva de Oliveira e Rafael Assis Amaro Nascimento, identificados como autores da execução, foram denunciados por homicídio qualificado.

Vídeo mostrou rapaz sendo agredido

Em maio, foi divulgado um vídeo mostrando um segurança do supermercado Atakarejo agredindo um jovem. A mãe de Yan reconheceu seu filho nas imagens.

A filmagem mostra um rapaz sendo agredido com um mata-leão pelo segurança. Desesperado, ele grita repetidamente “não” e “eu não quero ir”. Ao menos cinco outras pessoas acompanham o episódio sem reação.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos