Justiça do Trabalho registra 1,5 milhão ações no 1° semestre

Levantamento mostra informações sobre processos trabalhista (Getty Image)
Levantamento mostra informações sobre processos trabalhista (Getty Image)
  • A Justiça do Trabalho recebeu mais de 1,5 milhão de novas ações

  • Neste período, 1,49 milhão de casos analisados pelos tribunais

  • O pagamento da multa de 40% do FGTS é o que mais gera casos

Nem sempre funcionários e patrões conseguem chegar a acordos que sejam favoráveis para ambas as partes. Quando isso acontece, é possível tentar um acordo através de meios jurídicos.

Apenas no primeiro semestre deste ano, a Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do Tribunal Superior do Trabalho (TST) aponta que a Justiça do Trabalho recebeu mais de 1,5 milhão de novas ações trabalhistas.

Este balanço do TST considera todos os 24 tribunais regionais do trabalho espalhados pelo Brasil. Ele analisa as ações que ocorreram entre os meses de janeiro a junho de 2022.

Mas isso não significa que os problemas foram resolvidos. De acordo com o levantamento, o total de ações trabalhistas julgadas pelos tribunais e varas ficou um pouco abaixo, com 1,49 milhão de casos analisados.

No ano passado, os tribunais e varas de primeira instância julgaram quase 2,82 milhões de ações trabalhistas ao longo dos 12 meses do ano. Eles também receberam cerca de 2,88 milhões de processos. Caso os números deste semestre sejam semelhantes ao anterior, a expectativa é que existam mais casos do que em 2021.

O STF aponta que o tema mais recorrente nas ações trabalhistas ainda é o pagamento da multa de 40% do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Embates relacionados ao depósito levaram, até junho deste ano, 220 mil processos ao judiciário trabalhista. Como a questão dificilmente é resolvida de comum acordo, o jeito é buscar pelo direito através de vias judiciais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos