Justiça se mobiliza para encontrar humorista Carlinhos Mendigo, foragido há meses

Carlos Alberto da Silva, o Carlinhos Mendigo do "Panico na TV", está desaparecido e é procurado pela polícia de São Paulo. O humorista teve prisão decretada em fevereiro por não pagar pensão alimentícia, além de responder pelo crime de homofobia, e permanece foragido.

A polícia procurou o humorista em dois endereços: um apartamento no Morumbi e outro na Vila Conceição, mas não conseguiram confirmar o paradeiro. A Justiça segue pressionando o Ministério Público por informações exatas sobre o local que o humorista está morando. As informações são do jornalista Gabriel Perline, do "IG".

Sua prisão foi decretada em fevereiro de 2022 pelo Tribunal de Justiça de São Paulo após acumular uma dívida de mais de R$ 90 mil em pensão alimentícia. A ação é movida pela ex-assistente de palco Aline Hauck, mãe da criança de 11 anos. Hauck moveu quatro ações contra o humorista cobrando o pagamento.

Há três anos, a polícia de São Paulo montou uma operação para a prisão de Carlos Alberto e cercou um prédio na Zona Sul de São Paulo onde ele estaria escondido. Na época, ele conversou com a RecordTV e afirmou que não tinha medo de ser preso.

"Quantas vezes eu tentei ser presente? Eu tenho 27 boletins de ocorrência por desobediência dos dois acordos que eu tenho com a mãe do meu filho. Em sempre paguei. Ia buscar nos finais de semana. E eu ia buscar e não via. Eu tive que começar a fazer todo esse processo de boletins para poder provar para a Justiça", afirmou em entrevista ao "Cidade Alerta".

De acordo com a RecordTV, o montante total da dívida é cerca de R$700 mil. Além da dívida de pensão, em outubro de 2020 o humorista foi denunciado pelo Ministério Público de São Paulo por preconceito e violação de direitos humanos.

Crime de homofobia

Carlinhos Mendigo foi intimado pela Justiça para prestar esclarecimentos sobre a prática dos crimes de homofobia e transfobia. Somente no mês de outubro, dois oficiais estiveram nas duas casas do humorista, localizadas em bairros nobres de São Paulo, com as cartas dos pedidos de urgência para ele se manifestar e agendar a audiência em que terá que prestar esclarecimentos sobre suas condutas e opiniões emitidas em seus perfis nas redes sociais.

No dia 4 de outubro, o chefe de seção do Judiciário Robson Denis protocolou uma certidão em que cita a localização de três propriedades registradas como endereços de Carlinhos. Duas delas são em São Paulo, uma localizada na Vila Nova Conceição, e outra em Cerqueira César. A terceira casa fica em Rondonópolis, interior do Mato Grosso, onde ele também será intimado.

As cartas foram entregues nos dias 8 e 11 de outubro. Ele teve o prazo de cinco dias úteis para entrar em contato com a 3ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo para marcar a audiência, mas até o momento não há registros sobre seu posicionamento.

O ex-integrante do Pânico despertou a ira da comunidade LGBTQIA+ após publicar um texto ofensivo em seu perfil no Instagram, em julho de 2020, no qual dizia que preferia ser órfão em vez de ser filho de uma pessoa transexual, e ainda classificou como “normais” somente os heterossexuais.