Kátia Abreu diz que Ernesto foi bússola que 'nos direcionou para o caos'

·1 minuto de leitura
*arquivo* BRASÍLIA, DF, BRASIL, 07.08.2018 - Entrevista com a senadora Kátia Abreu. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*arquivo* BRASÍLIA, DF, BRASIL, 07.08.2018 - Entrevista com a senadora Kátia Abreu. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A senadora Kátia Abreu (PP-TO) fez uma dura fala contra o ex-chanceler Ernesto Araújo, dando sequência a uma troca de farpas que resultou na demissão do ex-ministro das Relações Exteriores, em março.

Kátia falou durante 20 minutos, sem ter feito nenhuma pergunta ao depoente. Inicialmente ironizou a fala de Ernesto na CPI, afirmando que ele tem duas "personalidades". A senadora então explicou que o ex-chanceler na comissão adotava um tom mais contido, negando críticas à China, mas que nas redes sociais e em artigos costumava ser mais virulento.

A senadora reconheceu que houve aumento no volume das exportações para a China no último ano, mas afirmou que ela aconteceu "a despeito" de Ernesto.

Kátia Abreu também afirmou que o comportamento do então chanceler com a China foi nocivo para o país, em particular na aquisição de vacinas.

"Que bajulação à China? Eu quero bajular qualquer país que tenha vacina", afirmou.

Ao terminar sua fala, Kátia disse que Ernesto colocou o Brasil na condição de pária e de irrelevância. Afirmou que o ex-chanceler é um "negacionista compulsivo".

"O senhor no MRE foi uma bússola que nos direcionou para o caos, que nos levou ao iceberg, ao naufrágio", disse.

Ernesto manteve uma relação conflituosa com senadores, especialmente no último ano. Em uma postagem nas redes sociais, no fim de março, Ernesto sugeriu que Kátia Abreu o procurou para fazer lobby em favor da tecnologia chinesa para o 5G. Dias depois, foi demitido.