Kalil amplia vantagem em BH, atinge 65% e fica perto de vitória no 1º turno, diz Datafolha

FERNANDA CANOFRE
·2 minuto de leitura

BELO HORIZONTE, MG (FOLHAPRESS) - A dez dias das eleições, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), segue liderando com mais que o dobro da soma de intenções de voto dos outros candidatos, aponta o Datafolha, indicando uma definição da eleição já em primeiro turno. Kalil aparece com 65% das intenções de voto. Nos dois primeiros levantamentos do Datafolha, ele havia marcado 56% (em 5 e 6 de outubro) e depois 60% (20 e 21 de outubro). O Datafolha ouviu presencialmente 868 eleitores na terça (3) e quarta (4) de novembro. A pesquisa, contratada pela Folha de S.Paulo e pela TV Globo e sob registro MG-02074/2020 no TRE-MG, tem margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança utilizado é de 95%. O deputado estadual João Vítor Xavier (Cidadania) manteve os 7% do levantamento anterior. Na primeira pesquisa, ele tinha 6%. A deputada federal Áurea Carolina (PSOL) também manteve os 5%, enquanto o deputado estadual Bruno Engler (PRTB) chegou a 4% --ele tinha 3% na pesquisa anterior. Nilmário Miranda (PT), ex-ministro do governo Lula, e a ex-secretária do governo Romeu Zema (Novo), Luísa Barreto (PSDB), aparecem com 2% e 1%, respectivamente. Os dois partidos, que apostaram em chapas puro-sangue, vêm sofrendo um apagão e perdendo força nos últimos anos em Belo Horizonte, na avaliação do cientista político Carlos Ranulfo Melo, professor da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). "Há uma desarticulação do PSDB aqui, desde a crise com Aécio [Neves], e depois com a derrota do [Antonio] Anastasia para o Zema. O PT é o desgaste que o partido sofreu nas capitais, e aqui foi acentuado, desde o impeachment da Dilma [Rousseff]", afirma ele. A onda que elegeu Zema para o governo mineiro, em 2018, parece não surtir efeito nas eleições municipais, onde o candidato dele, Rodrigo Paiva (Novo), aparece com 1% das intenções de voto. A pesquisa mostra ainda que 8% dos entrevistados afirmaram que pretendem votar em branco ou nulo, enquanto 4% não souberam responder. Kalil também lidera na pesquisa espontânea. Quando não são apresentados os nomes dos candidatos, ele alcança 57% das intenções de voto. João Vítor aparece com 4%, Áurea com 3%, Engler com 2% e Nilmário com 1%. No índice que mede a rejeição, 12% dos entrevistados responderam que não votariam de jeito nenhum no atual prefeito, mas o ranking segue liderado pelo petista Nilmário Miranda com 30%, seguido por João Vítor com 25% e Cabo Xavier (PMB) com 22%. Com pouco mais de uma semana de campanha até o primeiro turno, no próximo dia 15, Kalil já disse que não irá participar dos debates marcados pela Fiemg (Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais), e também declinou de participar de uma sabatina na rádio Itatiaia. Outros candidatos têm mantido o ritmo das agendas, sem grandes alterações para a reta final.