Kalil diz que está viajando, e polícia desmarca interrogatório sobre o caso Shantal Verdelho

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Polícia Civil desmarcou um interrogatório previsto para esta terça-feira (19) em que ouviria o ginecologista Renato Kalil, acusado pela influenciadora Shantal Verdelho de praticar violência obstétrica. Esse seria o primeiro depoimento formal do médico no âmbito do caso.

Em uma petição, Kalil disse que estaria viajando e, por isso, não poderia comparecer. Uma nova data para a oitiva deve ser definida pela Polícia Civil. Procurado, o médico diz que não irá se manifestar.

Shantal Verdelho acusa Renato Kalil de praticar violência obstétrica durante o parto de sua filha Domenica, em setembro do ano passado, em São Paulo. Desde então, outras mulheres vieram a público para fazer acusações contra ele, inclusive por assédio.

Considerado referência na obstetrícia brasileira e por fazer partos de celebridades, Kalil passou a ser investigado em um inquérito. Ele nega as acusações. A defesa do médico tem afirmado que o parto de Shantal ocorreu sem qualquer intercorrência e que as condutas do profissional foram sempre pautadas "pelas boas práticas", seguindo integralmente os protocolos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos