Kanye West terá que pagar US$ 1 bilhão se quiser vender camisetas ‘Vidas brancas importam’

Se quiser vender as camisetas com a inscrição "Vidas brancas importam" (White lives matter, em inglês), apresentadas mês passado no desfile de sua grife, Yeezy, na Semana de Moda de Paris, Kanye West precisará desembolsar US$ 1 bilhão aos detentores dos direitos autorais da frase. As informações são do TMZ, que ouviu um deles, Ramses Ja, um homem negro, que disse não ter a intenção de vendê-la. Mas, se alguém quiser comprar, vai precisar gastar um bom dinheiro.

Fora do Rei do Bacalhau: Kanye West é 'oficialmente banido' de lugares aleatórios em meme que circula nas redes

Madame Tussauds: estátua de cera de Kanye West é retirada de museu

Fim de carreira? Kanye West é demitido por agência e tem documentário cancelado após declarações antissemitas

Segundo Ramses, o mais importante é ajudar as organizações que lutam pelos direitos dos negros, então uma oferta desse valor os faria reconsiderar o desejo de não vender.

White lives matter foi parar nas mãos dos radialistas Ramses Ja e Quinton Ward depois que um ouvinte anônimo do programa de rádio Civic Cipher, de Phoenix, no Arizona, apresentado pela dupla, solicitou a propriedade da frase em um esforço para mantê-la longe das mãos erradas. Logo em seguida, esse ouvinte presenteou os apresentadores com os direitos exclusivos sobre a frase e a autorização para processar qualquer pessoa que tente usá-la para obter ganhos financeiros.

“Segundo a lei, ou você toma posse das frases ou elas ficam disponíveis para as pessoas ganharem dinheiro”, disse Ja (que fundou seu programa com Ward após o pico dos protestos do Black Lives Matter, em 2020) ao Capital B. "Essa pessoa que adquiriu a frase não gostava muito de possuí-la, porque o objetivo não era necessariamente ficar rico com isso; o objetivo era garantir que outras pessoas não ficassem ricas com essa dor. Ela sentiu que estávamos em uma posição muito mais pública para usar isso em benefício dos negros”.

Caso Kanye West tente comprar os direitos autorais de Ja e Ward, ele deve enfrentar dificuldades financeiras: suas parcerias com a Gap, JP Morgan Chase, Balenciaga e Adidas foram todas cortadas, depois de seus comentários antissemitas.