'Fico assustada pensando em como vai ser', escreveu grávida morta ao anunciar gestação dias antes de falecer

·2 minuto de leitura
Aos 24 anos, jovem grávida foi morta baleada no Rio de Janeiro - Foto: Redes Sociais/Reprodução
Aos 24 anos, jovem grávida foi morta baleada no Rio de Janeiro - Foto: Redes Sociais/Reprodução
  • Grávida morta baleada no RJ havia postado, dias antes, mensagem em que mostrava temor em relação a seu futuro como mãe

  • Jovem de 24 anos estava grávida de 4 meses e foi atingida durante ação da PM no Complexo do Lins

  • PMs alegam que reagiram a um ataque de bandidos no local; família contesta

Morta ao ser atingida por um tiro durante um suposto confronto entre policiais militares e bandidos na Zona Norte do Rio de Janeiro, Kathlen de Oliveira Romeu, 24 anos, estava grávida de quatro meses e já temia como seria seu futuro de mãe.

Seis dias antes de morrer, ela publicou em uma rede social um texto emocionado, deixando claro o tamanho da sua expectativa em relação ao fato de ser mãe no futuro.

Leia também

"Sabe aquela menina-mulher que as pessoas admiram e têm orgulho? Hoje ela quer ser mais e mais! Tudo por esse serzinho que eu carrego aqui dentro!", escreveu Kathlen.

A jovem ainda falou em "misto de sentimentos" e projetou se divertir com o fato de estar apreensiva com a maternidade no futuro. 

"Estou me descobrindo como mãe e fico assustada pensando em como vai ser... Dou risada, choro e tenho medo. Um misto de sentimentos (...) Vou dar risada lá na frente disso tudo", escreveu a jovem. Ela já havia escolhido o nome do bebê: Maya, se fosse menina, ou Zyon, se fosse menino.

Polícia alega confronto com bandidos

Kathlen Romeu, de 24 anos, que estava grávida de 14 semanas, foi baleada e socorrida, mas não resistiu. (Foto: Reprodução/Instagram)
Kathlen Romeu, de 24 anos, que estava grávida de 14 semanas, foi baleada e socorrida, mas não resistiu. (Foto: Reprodução/Instagram)

Kathlen chegou a ser levada para o Hospital municipal Salgado Filho, mas não resistiu aos ferimentos. De acordo com informações da Secretaria municipal de Saúde do Rio, ela já chegou à unidade de saúde sem vida.

De acordo com a Secretária de Estado da Polícia Militar, houve uma troca de tiros com criminosos na localidade conhecida como "Beco da Catorze". 

Os policiais alegam que foram atacados a tiros pelos bandidos, o que teria gerado o conflito que vitimou a jovem. A família, no entanto, contesta a versão da polícia. 

"A minha filha faleceu. Ceifaram a vida da minha filha e falaram que foi troca de tiros. Não foi. Como foi ela, poderia ser eu, uma pessoa do bem e falariam que eu era vagabundo. Na maioria das vezes não é confronto — desabafou Luciano Gonçalves, pai da vítima, em entrevista à TV Globo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos