Kevin Feige foi impedido de usar Demolidor, Blade e Motoqueiro Fantasma no MCU

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O presidente do Marvel Studios, Kevin Feige, foi impedido de usar personagens como Demolidor, Blade e Motoqueiro Fantasmas nos filmes quando os direitos desses personagens retornaram para a empresa em 2013. Isso porque a Marvel Entertainment decidiu que queria usá-los em séries de TV para criar o que foi chamado de um “império de séries”, barrando a sua presença nos cinemas.

A revelação foi feita no livro The Story of Marvel Studios: The Making of the Marvel Cinematic Universe (A História do Marvel Studios: O Making of do Universo Cinematográfico da Marvel, em tradução livre), lançado nesta semana nos Estados Unidos, e vai ao encontro do que a gente já sabia da disputa envolvendo Feige e Ike Perlmutter, então presidente da Marvel Entertainment.

A queda de braço interna já tinha sido ventilada há algum tempo. Apesar de estarem sob o mesmo guarda-chuva, as duas divisões eram tratadas como empresas diferentes. Por isso, quando a Entertainment decidiu que iria partir para as séries de TV na tentativa de replicar o sucesso dos filmes, isso impediu que tais personagens pudessem ser levados para o cinema. Basicamente, ele tirou os brinquedos da mãos de Kevin Feige.

Herói nunca vai ver a cor do MCU por causa de uma sabotagem dentro da própria Marvel (Imagem: Divulgação/Netflix)
Herói nunca vai ver a cor do MCU por causa de uma sabotagem dentro da própria Marvel (Imagem: Divulgação/Netflix)

No entanto, a grande novidade que o livro apresenta é que essa disputa não foi tão amistosa quanto os relatos iniciais apresentaram, já que Feige tinha interesse em usar esses heróis dentro de seu Universo Cinematográfico. Pelo que é descrito, o executivo e sua equipe já estavam pensando onde encaixá-los na história que estava sendo apresentada quando foram barrados pela Marvel Entertainment, que assumiu o controle do Demolidor, Justiceiro e Motoqueiro Fantasma.

Os detalhes da briga entre Feige e Perlmutter não foram apresentados, mas o livro descreve que o chefe da Marvel Entertainment decidiu puxar o tapete do Marvel Studios por achar que Feige já tinha heróis o suficiente sob o seu controle. Na época, ele estava preparando a produção de Vingadores: Era de Ultron e o primeiro Guardiões da Galáxia — ou seja, havia espaço para inserir os novos heróis.

Assim, com a ida do Demolidor e dos demais Defensores para Marvel Entertainment, eles não puderam mais ser usados por Feige no MCU, como os fãs esperavam. E por mais que as séries tenham conseguido um relativo sucesso na Netflix, a investida não avançou e todos os projetos acabaram cancelados.

Mais do que isso, uma reestruturação na Marvel fez com que todo o controle criativo de adaptações, para cinema e TV, ficassem com o Marvel Studios. Foi assim que vimos séries como WandaVision e Loki conversarem muito mais com o MCU do que era permitido em Luke Cage e Punho de Ferro, por exemplo.

Ironicamente, o personagem Blade também entrou no meio dessa disputa, ainda que a divisão comandada por Perlmutter nunca tenha demonstrado real interesse em trazer o vampiro para as TVs. Ao longo de quase uma década, nada foi comentado sobre uma possível série do herói, que só voltou aos holofotes após o Marvel Studios confirmar um novo filme.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos