Khamenei diz que promessas dos EUA não têm credibilidade para o Irã

·1 minuto de leitura

DUBAI (Reuters) - O Irã não confia na promessa dos EUA de remover sanções e só retornará aos seus compromissos ditados pelo acordo nuclear de 2015 quando Washington revogar totalmente as medidas, afirmou o líder supremo iraniano, o aiatolá Ali Khamenei, neste domingo.

O governo do presidente norte-americano Joe Biden estuda maneiras de recuperar o acordo nuclear de 2015 que o Irã assinou com grandes potências mundiais, abandonado em 2018 pelo então presidente Donald Trump, que retomou sanções. O Irã retaliou, violando passo a passo os termos do acordo.

Os Estados Unidos e outras potências ocidentais que assinaram o acordo de 2015 parecem divergir de Teerã sobre qual lado deveria retornar ao acordo primeiro, tornando improvável que as sanções dos EUA, que atingiram a economia do Irã, possam ser rapidamente removidas.

"Confiamos nos Estados Unidos na época do (ex-presidente Barack) Obama e cumprimos nossa parte. Mas eles não o fizeram. Os norte-americanos disseram, no papel, que as sanções serão removidas, mas não as removeram na prática", disse Khamenei, em um discurso à televisão estatal.

"A promessa deles não têm credibilidade para nós."

(Reportagem Redação Dubai)