Kiev encontra mais de 800 corpos em territórios libertados

Kiev encontra mais de 800 corpos em territórios libertados

Responsáveis ucranianos anunciaram ter encontrado 868 corpos de civis, incluindo 24 crianças, em áreas libertadas das regiões de Kharkiv, Donetsk e Kherson.

No terreno prossegue a invasão russa mas a situação na região de Kherson parece estar a mudar com as tropas russas a reagruparem-se e a pedirem às populações para partirem para a margem esquerda do rio Dnipro.

Kiev prefere esperar para ver, apesar das autoridades russas terem retirado a bandeira do seu país do edifício do governo local de Kherson. Já Moscovo prefere ressalvar que suas tropas repeliram os ataques do exército ucraniano em diferentes frentes, causando um grande número de baixas.

Em Zaporíjia, a situação complica-se com a rede elétrica e subestações da central nuclear a serem atingidas por um bombardeamento russo, que a Rússia nega. Quanto às acusações de que os ucranianos estariam a criar uma "bomba suja" a Agência Internacional de Energia Atómica diz ter feito uma inspeção e concluído não haver sinais de "atividades nucleares não declaradas".

O chefe da Diplomacia ucraniana, Dmytro Kuleba chamava as denúncias de "desinformação russa" e acrescentava que a Rússia confirmou o seu "estatuto de maior mentirosa do mundo".

Entre Kiev e Moscovo concertou-se uma nova troca de prisioneiros, 107 de cada lado. Entre os ucranianos regressaram a casa 74 soldados que defenderam Mariupol durante dois meses antes de se renderem. Do outro lado 65 eram efetivos dos territórios ucranianos anexados pela Rússia.