Kim Kardashian pede divórcio de Kanye West

·3 minuto de leitura
(Arquivo) Kim Kardashian e Kanye West, em festa celebrada por ocasião do Oscar, Beverly Hills, 9 de fevereiro de 2020

A estrela de 'reality show' Kim Kardashian pediu o divórcio do rapper Kanye West depois de quase sete anos de casamento, informou sua assessoria à AFP nesta sexta-feira (19).

O processo de divórcio confirma rumores de uma separação que surgiram no mês passado, quando a imprensa americana noticiou que o casal de celebridades vivia separado e passava por aconselhamento por "frequentes problemas de relacionamento".

O site especializado em celebridades TMZ - que deu a notícia nesta sexta-feira - disse que a separação foi "tão amigável quanto um divórcio pode ser".

Kardashian, de 40 anos, está pedindo a guarda compartilhada dos quatro filhos do casal, acrescentou. Sua advogada Laura Wasser estaria encaminhando a documentação para o divórcio nesta sexta-feira.

A assessoria de imprensa de Kardashian confirmou o pedido de divórcio, mas não forneceu mais detalhes.

Este é o primeiro divórcio de West e o terceiro de Kardashian.

O casal - ela, uma empresária, celebridade de 'reality show' com um físico voluptuoso, ele, um artista multifacetado tão respeitado no mundo da moda como no mundo da música - causava sensação por onde passava. A imprensa do 'show business' os chamava de "Kimye".

Na opinião de vários meios de comunicação americanos citando fontes próximas ao casal, a candidatura de West à Presidência dos EUA no ano passado teria sido um dos gatilhos para a separação.

Embora tenha conquistado apenas 60 mil votos, o rapper, que já foi favorável a Donald Trump, teria mencionado a possibilidade de reapresentar sua candidatura para as eleições de 2024.

- Transtornos bipolares -

West não fez segredo de seus transtornos bipolares. Em julho, à margem de sua campanha eleitoral, ele fez comentários inconsistentes e postou mensagens enigmáticas no Twitter, sugerindo que sua esposa queria que ele fosse internado em um hospital psiquiátrico.

Ele também a acusou de querer abortar seu primeiro filho e de ter tido um relacionamento com outro rapper, Meek Mill, o que ela nega.

Kardashian então pediu "compaixão e empatia" por seu marido e disse que aqueles que "conhecem Kanye sabem que suas palavras nem sempre correspondem às suas intenções".

Ela também afirmou que, embora admita sua doença, West se recusa ao tratamento, temendo que sua energia criativa pudesse ser afetada.

O transtorno bipolar, que já foi chamado de psicose maníaco-depressiva, é caracterizado por períodos alternados de excitação e depressão.

Kardashian era uma estrela de segunda categoria até outubro de 2007, quando alcançou a fama com o 'reality show' "Keep Up with the Kardashians", que acompanhou a vida de sua família em Los Angeles em detalhes, incluindo dramas e brigas entre ela e suas irmãs.

O programa permitiu que Kim, com a ajuda de sua mãe, construísse um império que inclui uma linha de cosméticos e uma marca de roupas. A revista Forbes estima sua fortuna em 780 milhões de dólares.

Kanye West, que começou como produtor, estourou no cenário musical em 2004 com o álbum "The College Dropout".

É considerado um dos mais inovadores artistas do rap e já acumulou 21 Grammys, prêmios da indústria musical americana.

Em 2014, fez parceria com a fabricante de equipamentos esportivos Adidas para desenvolver sua marca Yeezy, que se tornou um enorme sucesso em todo o mundo, com vendas anuais superiores a 1 bilhão de dólares.

A Forbes estimou sua fortuna em cerca de US$ 1,3 bilhão.

De acordo com o site TMZ, West e Kardashian assinaram um contrato de casamento, o que deve simplificar a separação de bens durante o processo de divórcio.

amz/acb/jc/mvv/jc