Kim supervisiona teste de míssil intercontinental da Coreia do Norte e promete mais armas nucleares

Líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un

Por Hyonhee Shin

SEUL (Reuters) - O líder norte-coreano, Kim Jong Un, prometeu contra-atacar as ameaças nucleares dos Estados Unidos com armas nucleares, ao inspecionar um teste um do novo míssil balístico intercontinental do país, reportou o veículo estatal KCNA no sábado (horário local).

O país isolado testou um míssil balístico intercontinental (ICBM) nesta sexta-feira, um dia após alertar sobre "respostas militares mais ferozes" à intensificação da presença regional de Washington, incluindo ativos nucleares.

Comparecendo ao local do teste com sua filha pela primeira vez, Kim disse que ameaças dos Estados Unidos e de seus aliados buscando políticas hostis levaram seu país a "acelerar substancialmente o aumento de sua esmagadora dissuasão nuclear".

"Kim Jong Un declarou solenemente que se seus inimigos continuassem a representar ameaças... nosso partido e governo irão reagir de maneira resoluta com armas nucleares e com confrontos totais com confrontos completos", afirmou a agência de notícias KCNA.

O lançamento do ICBM Hwasong-17 foi parte da "estratégia de construção de defesa de alta prioridade" da Coreia do Norte, com o objetivo de construir "a mais absoluta e poderosa dissuasão nuclear", disse a KCNA, chamando-a de "a mais forte arma estratégica no mundo".

O míssil voou cerca de 1.000 quilômetros, por cerca de 69 minutos, e atingiu uma altitude máxima de 6.0041 quilômetros, disse a KCNA.

O ministro japonês da Defesa, Yasukazu Hamada, disse que o armamento poderia viajar até 15 mil quilômetros, o suficiente para atingir o território continental dos Estados Unidos.

(Reportagem de Hyonhee Shin)