Kindle serve para estudar? Veja dicas de uso do e-reader para alunos

O Kindle se popularizou entre os amantes de literatura por facilitar a vida de quem possui coleções de livros e quer ocupar menos espaço com as obras ou carregar menos peso. O dispositivo também é útil para estudos, apesar das limitações do aparelho.

Por ser um e-reader, ele não possui os mesmos recursos de um tablet, então não é possível assistir a videoaulas por ele, por exemplo. No entanto, o Kindle otimiza a leitura de textos, artigos e facilita na hora de fazer anotações. Veja como aproveitar o aparelho na volta às aulas:

Organização: é comum para estudantes ter que carregar diversos livros sobre vários assuntos. Para facilitar neste sentido, o leitor digital oferece um recurso que permite organizar os conteúdos armazenados na biblioteca por “Coleções”, que funcionam como pastas. É possível separar livros por autores, assuntos ou até mesmo por matérias escolares.

Criar destaques e notas: em livros físicos, é comum o uso de post-its para marcar as páginas, mas o uso do Kindle também facilita nessa hora. Para isso, o dispositivo oferece as ferramentas de destaques e notas, que permitem selecionar determinado trecho de um texto e salvá-los para acessar em um só local, além de permitir inserir pequenos comentários sobre o que foi destacado. Também é possível compartilhar esses destaques por e-mail, direto do dispositivo, o que ajuda nos estudos em grupo ou até mesmo a tirar dúvidas com um professor.

Dicionários, ferramentas de tradução e Wikipédia: o aparelho tem uma ferramenta nativa de dicionários tanto para significados de palavras quanto para tradução. Dessa forma, o usuário não precisa pegar o celular ou computador para pesquisar o significado do que leu ou traduzir o conteúdo para o português. O recurso ainda oferece uma busca do termo na Wikipédia, o que facilita quando o conteúdo é muito específico sobre algum tema.

Ao pesquisar pelo significado de determinada palavra, o Kindle automaticamente armazena o item num “Construtor de Vocabulário”. Dessa forma, o estudante pode revisitar essa tela sempre que quiser relembrar alguma palavra. Essa ferramenta mostra o significado da palavra, de qual livro foi destacada e uma aplicação real dela.

Converter PDFs para ePUB: desde agosto de 2022, o formato oficial do Kindle deixou de ser o MOBI e passou a ser o ePUB. No entanto, o dispositivo ainda reconhece outros tipos de arquivos, como o tradicional PDF.

Para alguns livros ou artigos, a leitura de um texto neste formato pode não ser tão agradável para o usuário, com alguns problemas de otimização e exibição, mas é possível converter o arquivo facilmente para o formato oficial do Kindle. Basta enviar o livro por e-mail para o endereço da sua conta no Kindle com o assunto “convert”.

O Kindle também aceita documentos Microsoft Word (DOC e DOCX), Kindle Package Format (KPF), HTML (ZIP, HTM ou HTML), Formato Rich Text (RTF) e texto sem formatação (TXT).

Nota de transparência: Amazon e EXTRA mantêm uma parceria comercial, que não interfere no conteúdo de nossas reportagens. Ao clicar no link da loja, o EXTRA pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação. Os preços mencionados podem sofrer variação e a disponibilidade dos produtos está sujeita aos estoques. Os valores indicados no texto são referentes ao mês de janeiro de 2023.