Kremlin diz que não consegue imaginar negociações públicas com Kiev

Porta-voz do Kremlin Dmitry Peskov

MOSCOU (Reuters) - O Kremlin acusou nesta quinta-feira Kiev de mudar as balizas em relação a possíveis negociações de paz, dizendo que não conseguia se imaginar engajado em negociações públicas com a Ucrânia.

Em teleconferência com repórteres, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que os Estados Unidos são capazes de levar em consideração as preocupações da Rússia e podem encorajar Kiev a voltar à mesa de negociações, se assim o desejar.

Peskov também disse que a Ucrânia mudou várias vezes sua posição sobre se quer negociar com Moscou durante o conflito de nove meses e não pode confiar nisso.

"Primeiro eles negociam, depois se recusam a negociar, depois aprovam uma lei que proíbe qualquer tipo de negociação, depois dizem que querem negociações, mas públicas", disse Peskov a repórteres.

"Portanto, é difícil imaginar negociações públicas", acrescentou.

Peskov afirmou que, neste contexto, Moscou continuará o que chama de "operação militar especial", e que os ataques com mísseis contra alvos em toda a Ucrânia foram consequência de Kiev não estar disposta a se reunir na mesa de negociações.

(Reportagem da Reuters)