Kremlin promete apoio após líder separatista em Donbas pedir mais forças russas

Denis Pushilin, líder da região ucraniana separatista de Donetsk

(Reuters) - O principal objetivo da operação militar da Rússia na Ucrânia é proteger as Repúblicas Populares de Donetsk e Luhansk, afirmou o Kremlin nesta segunda-feira, após o líder de uma das regiões separatistas pedir forças adicionais a Moscou.

Denis Pushilin, líder da região ucraniana separatista de Donetsk, apoiada pela Rússia, havia dito nesta segunda-feira que houve mais combates e bombardeios na região.

“Todas as forças necessárias, incluindo as aliadas, incluindo as forças da Federação da Rússia, estarão envolvidas para se opor ao inimigo”, disse Pushilin.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, afirmou segundo a agência de notícias estatal russa RIA que “no geral a proteção das repúblicas é o principal objetivo da operação militar especial”.

A Reuters não conseguiu verificar de maneira independente as afirmações da Rússia sobre bombardeios intensificados na região de Donetsk e não houve reação imediata de Kiev sobre o assunto.

Donetsk e Luhansk são duas entidades separatistas, com apoio da Rússia, na região de Donbas, no leste da Ucrânia, que, segundo a Rússia, estão lutando para sair completamente do controle de Kiev.

(Reportagem de Lidia Kelly em Melbourne, Austrália)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos