Kylie Jenner foi longe demais usando vestido com cabeça de leão? Entenda a polêmica

Até a PETA se envolveu na mais recente controvérsia da empresária

Kylie Jenner (Foto: Getty Images)
Kylie Jenner (Foto: Getty Images)

Resumo da notícia:

  • Kylie Jenner usa vestido com cabeça de leão e causa revolta

  • Empresária foi uma das convidadas especiais do último desfile de alta-costura da Schiaparelli

  • Internautas acusam a irmã mais nova de Kim Kardashian de incentivar a caça e a taxidermia

Quando se fala sobre alta-costura e os desfiles em que determinadas grifes francesas apresentam peças artesanais, conceituais e exclusivas, criações surpreendentes ironicamente já são o esperado. Mas, na última segunda-feira (23), Kylie Jenner realmente conseguiu impactar o público ao surgir, em Paris, usando um vestido com cabeça de leão — a empresária estava entre os convidados especiais da Schiaparelli, tanto que o modelo escolhido para ela foi um dos apresentados na passarela, pela qual vimos também looks com cabeças de lobo e leopardo.

Kylie Jenner (Foto: Getty Images)
Kylie Jenner (Foto: Getty Images)

Primeiro, é importante frisar que essas cabeças de animais não são verdadeiras e, diferentemente do que muitos internautas apontaram, a coleção não incentiva ou exalta a caça ou a taxidermia, e sim referencia um clássico da literatura italiana, a "Divina Comédia", de Dante Alighieri. Nesse contexto, o leão, o leopardo e o lobo representam as três bestas que guardam a entrada do Inferno de Dante e simbolizam, respectivamente, a soberba, a luxuria e a avareza. Ah, e esses são apenas três de quase quarenta figurinos feitos para construir a narrativa em questão.

Desfile de alta-costura da Schiaparelli (Foto: Getty Images)
Desfile de alta-costura da Schiaparelli (Foto: Getty Images)
Desfile de alta-costura da Schiaparelli (Foto: Getty Images)
Desfile de alta-costura da Schiaparelli (Foto: Getty Images)

O segundo ponto tem a ver justamente com o fato de essas "cabeças de animais" serem tão realistas. Ora, em um momento em que se discute tanto a exploração e o extermínio de diversas espécies para a produção de casacos de pele, por exemplo, a Schiaparelli trazer algo assim apenas comprova que já temos recursos e técnicas suficientes para investir em alternativas sintéticas, como bem pontuou Ingrid Newkirk, presidente da PETA, ao TMZ.

“O vestido de Kylie celebra a beleza dos leões e pode ser um posicionamento contra a caça de troféus, na qual famílias de leões são separadas para satisfazer o ego humano. [...] Essas cabeças de animais tridimensionais fabulosamente inovadoras mostram que onde há vontade, há um caminho”, opinou ela em entrevista para o site norte-americano.

No entanto, o braço francês da PETA criticou a Schiaparelli por afirmar que "nenhum animal foi ferido" na confecção da coleção. “Essa afirmação é falsa. [...] Na realidade, bichos-da-seda foram fervidos vivos e ovelhas foram exploradas para obter a seda e a lã usadas na fabricação dessas cabeças de animais falsas. A marca deveria utilizar materiais de origem não-animal e qualquer pessoa preocupada com a possibilidade de esses vestidos incentivarem a caça deveria pensar também nos animais que realmente sofreram para que a Schiaparelli chegasse a esse resultado, nas inúmeras pessoas que são confinadas, mutiladas, abusadas e mortas por causa da moda", diz parte do posicionamento.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.