Lázaro Barbosa é morto pela polícia em Goiás

·2 minuto de leitura
Nesta foto de 19 de julho de 2020, policiais participam de operação para a captura de Lázaro Barbosa em Cocalzinho de Goiás

O suposto assassino de quatro pessoas Lazáro Barbosa, que mantinha a região de Brasília em suspense, foi morto nesta segunda-feira (28), após 20 dias de uma operação de busca que mobilizou quase 300 policiais - informaram fontes oficiais.

A mídia brasileira divulgou vídeos em que vários policiais carregam uma pessoa ensanguentada, aparentemente sem vida, a qual colocam em uma ambulância antes de se abraçarem gritando: "Acabou!".

O secretário de Segurança Pública do estado de Goiás, Rodney Miranda, informou que Lázaro Barbosa, 32 anos, morreu após um confronto com as forças de segurança, durante o qual chegou a "descarregar uma pistola", nos arredores da cidade de Águas Lindas em Goiás.

"CPF cancelado", escreveu o presidente Jair Bolsonaro no Twitter, parabenizando a polícia por "dar fim ao terror praticado pelo marginal Lázaro". "O Brasil agradece! Menos um para amedrontar as famílias de bem. Suas vítimas, sim, não tiveram uma segunda chance", acrescentou.

Segundo Rodney Miranda, Lázaro foi localizado em uma casa, juntamente com a ex-mulher e a e ex-sogra, que estão sendo interrogadas. O secretário afirmou que o foragido contava com o apoio de "uma rede que lhe dava proteção", sem poder afirmar se as duas mulheres faziam parte dela. Na semana passada, a polícia prendeu um fazendeiro acusado de ter escondido o suposto assassino por cinco dias.

A operação de busca, que mobilizou quase 300 policiais com drones, helicópteros e cães farejadores, começou em 9 de junho, depois que quatro membros de uma família da zona rural de Ceilândia, no Distrito Federal, foram esfaqueados até a morte. Durante sua fuga, Lázaro manteve três membros de uma família reféns, que, depois, foram resgatados pela polícia.

A operação se concentrou na região de Cocalzinho de Goiás, uma pequena cidade no coração do Cerrado, a 75 km da capital do país. Por mais de três semanas, os moradores da região ficaram aterrorizados por temerem a presença do chamado "serial killer de Brasília".

Lázaro Barbosa, natural da Bahia, tinha uma longa experiência na arte de fugir da polícia. Preso em 2011 por roubo e estupro, ele fugiu da prisão em 2016. Foi novamente detido e voltou a fugir em 2018 de um presídio de Águas Lindas.

lg/jm/js/yow/aa/tt/bn/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos